sicnot

Perfil

Lusa

Coimbra: Câmara volta a lançar concurso para construção e exploração de complexo funerário

João Ernesto Fonseca

Coimbra, 10 jun (Lusa) -- A câmara de Coimbra vai lançar novo concurso para a conceção, construção e concessão da exploração de um complexo funerário, com crematório, em Taveiro, revelaram hoje os vereadores Paulo Leitão e Luís Providência.

Coimbra, 10 jun (Lusa) -- A câmara de Coimbra vai lançar novo concurso para a conceção, construção e concessão da exploração de um complexo funerário, com crematório, em Taveiro, revelaram hoje os vereadores Paulo Leitão e Luís Providência.

O novo caderno de encargos surge com alterações em relação ao anterior, aberto em 2008, na expectativa de que o concurso "não volte a ficar deserto", disse Paulo Leitão, que falava numa sessão de apresentação das novas regras de candidatura à criação e exploração do futuro complexo.

O anterior concurso exigia "uma estrutura muito grande" e, por isso, um investimento "demasiado elevado" para despertar o interesse dos investidores, admitiu o vereador, responsável pelo pelouro de Obras e Infra-estruturas Municipais.

O novo concurso, a lançar em breve, exige, no entanto, que a infraestrutura a construir mantenha "todas as condições para poder ser ampliada em qualquer altura" e para que possa atingir, quando isso se revelar necessário, as dimensões inicialmente previstas, sublinhou Luís Providência.

Envolvendo um investimento superior a um milhão de euros, o complexo funerário, a construir junto ao cemitério de Taveiro, será "dotado de um crematório e áreas técnicas adjacentes, salas de despedida e de velório, cafetaria, instalações sanitárias e áreas complementares", referiu Luís Providência, responsável pelo pelouro dos cemitérios.

No distrito de Coimbra só há um crematório, na Figueira da Foz, prevendo os responsáveis da câmara de Coimbra que o futuro complexo da cidade não se limite a servir apenas o município, mas uma região mais vasta, acrescentou Luís Providência.

JEF

Lusa/Fim

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.