Última Edição

0
0:05

Última Edição

1
2:05

Milhares manifestaram-se contra o OE para 2015 em Lisboa

2
2:35

Costa volta a acusar o Governo de desperdiçar os fundos comunitários

3
1:01

Sócrates resistiu até ao fim em pedir um resgate financeiro, diz Ferro Rodrigues

4
1:28

Durão Barroso diz que se fosse hoje voltava a trocar o cargo de primeiro-ministro

5
1:10

Durão Barroso diz que Putin é o produto do ressentimento pelo fim da União Soviética

6
0:19

Mia Couto diz-se esperançoso e receoso com eleições em Moçambique

7
3:50

Violência volta a Jerusalém nos últimos quatro meses

8
1:45

Vasco Ribeiro ainda tem dificuldade em acreditar que é campeão do mundo

9
1:30

Lopetegui diz que é preciso um FC Porto coeso frente ao Nacional

10
0:49

Condição física de Diego Costa gera mau estar entre Mourinho e seleção espanhola

08:41 17.10.2011

Cerca de 43 milhões de pessoas em risco de carência alimentar na Europa

Reuters A percentagem de portugueses em risco de pobreza ou exclusão soccial aumentou de 2009 para 2010

Cerca de 43 milhões de pessoas estão em risco de carência alimentar na Europa e não têm meios para pagar uma refeição completa e 79 milhões vivem abaixo do limiar de pobreza, indicam dados do Programa Europeu de Apoio Alimentar.  

Hoje assinala-se o Dia Mundial contra a Pobreza Extrema e o Programa  Europeu de Apoio Alimentar realiza, em Bruxelas, uma conferência de imprensa  para abordar o tema, com a presença de representantes do Comité Económico  e Social e de Instituições de Solidariedade Social, entre as quais, a Federação  Portuguesa de Bancos Alimentares.  

O ano passado, os 240 Bancos Alimentares distribuíram 360 mil toneladas  de produtos alimentares a Instituições de Solidariedade Social em 21 países  europeus.  

Estas Instituições distribuíram os produtos a pessoas carenciadas sob  a forma de cabazes ou de refeições; mais de metade do total dos alimentos  entregues provinham do Programa europeu que ajudou 18 milhões de pessoas  carenciadas. 

Segundo o Eurostat, 79 milhões de pessoas vivem na Europa abaixo do  limiar de pobreza e 30 milhões sofrem de subnutrição. 

Iniciado em 1987, o Programa Comunitário de Apoio Alimentar a Carenciados  (PCAAC) permite fornecer alimentos produzidos com os 'stocks' dos excedentes  de produtos agrícolas, os chamados "stocks de intervenção".  

No entanto, estes 'stocks' têm vindo a diminuir ano após ano devido  às reformas da PAC e do acréscimo de procura de produtos agrícolas no mundo.

O PCAAC tem contribuído para combater a pobreza e promover a inclusão  social: 18 milhões de cidadãos europeus beneficiaram este ano deste programa  comunitário em 20 Estados-membros da União Europeia. 

 Com Lusa

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Mais Populares

CT: NEWS
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .