Última Edição

0
0:08

Última Edição

1
2:22

Revista de Imprensa de 8 de fevereiro

2
0:49

Peseiro lamenta oportunidades desperdiçadas e queixa-se de golo mal anulado

3
1:03

Rodolfo Reis diz que Maicon não deveria jogar mais no FC Porto

4
1:38

Sporting vai tentar recuperar liderança da Liga frente ao Rio Ave

5
1:36

Termina interrogatório a José Veiga

6
0:55

Advogados de Vítor Sousa e Cândida Serapicos consideram medidas de coação exageradas

7
2:07

Portas pediu a Juncker que não fosse intransigente com o Governo

8
0:41

João Galamba acusa direita de tentar "intoxicar" opinião pública sobre OE

9
2:08

Subvenções vitalícias vão custar quase 19 milhões de euros este ano

10
5:31

Casal com deficiência vence obstáculos para trabalhar em Lisboa

11
2:49

ONU condena lançamento de foguetão pela Coreia do Norte

12
2:35

Milhares de sírios continuam a chegar à fronteira com a Turquia

13
1:47

Dois mil figurantes enchem de cor e alegria o carnaval de Ovar

14
2:27

Milhares no julgamento e morte do galo na Guarda

15
2:08

Cerca de 15 mil pessoas no Carnaval de Loulé

16
2:30

Entrudo chocalheiro cumpre a tradição em Trás-os-Montes

17
2:41

"Estragar" une Agir e C4 Pedro

08:46 16.10.2012

Dia Mundial da Alimentação celebrado em Roma com fome e preços dos cereais na agenda

Reuters

A comunidade internacional reúne-se hoje em Roma para celebrar o Dia Mundial da Alimentação, sob a égide da ONU, e refletir sobre os meios para reduzir as tensões nos mercados dos cereais.

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO),  com sede em Roma, acolhe a reunião do Comité de Segurança Alimentar (CFS)  constituído por outras agências da ONU, especialistas e representantes da  sociedade civil. 

De acordo com as últimas previsões da FAO, 870 milhões de pessoas ainda  passam fome no mundo. Apesar de este número estar a recuar (1.000 milhões  entre 1990-1992), permanece "muito alto", afirmou o diretor-geral desta  organização, José Graziano da Silva. 

A crise alimentar temida este verão com a seca que atingiu os Estados  Unidos, um grande produtor mundial de cereais, não chegou a acontecer, mas  a tensão continua e os preços nos mercados internacionais estão elevadíssimos,  depois da descida das previsões noutros grandes produtores, caso da Rússia,  União Europeia e da região do Mar Negro. 

"Os preços dos alimentos são muito voláteis e perigosamente altos",  disse a propósito da iniciativa o relator especial da ONU sobre o Direito  à Alimentação, Olivier De Schutter, que pediu "uma resposta imediata" para  estabilizar os preços. 

Pelo menos 36 ministros, incluindo da Rússia, Coreia do Sul, Japão,  Brasil, Bangladesh, Filipinas, Camarões, mas também da Alemanha, Itália  e do Reino Unido, já confirmaram a participação no encontro.

Comentários

ATENÇÃO:ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Publicidade

Agora

Mais Populares

Comentários

Publicidade

Agora

Mais Populares

CT: NEWS
07:39
Galp Energia com lucros de 639 M€ em 2015
07:38
Barril de Brent abre em alta nos 34,40 dólares
07:11
4 soldados mortos em ataque talibã a autocarro militar no Afeganistão
06:51
7 distritos sob aviso laranja devido à agitação marítima
06:50
Merkel vai hoje à Turquia para debater aplicação de plano comum
06:49
7 barras fechadas e 2 condicionadas devido à agitação marítima
06:48
Japão apoia sistema antimíssil norte-americano na península da Coreia
06:47
Sporting recebe hoje o Rio Ave pelas 19 horas
06:45
França começa a julgar ex-ministro das Finanças por fraude fiscal
06:44
Sobe para 38 número de mortos em sismo em Taiwan
X

Sabia que o seu Internet Explorer está desatualizado?

Para usufruir da melhor experiência de navegação na nossa página web recomendamos que atualize para uma nova versão. Por favor faça a atualização aqui .