Grande Reportagem

Viaje por cenários de guerra e de paz, de amor e de ódio.

  • Hoje na SIC: O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro - Capítulo 3
    0:54

    Grande Reportagem SIC

    No terceiro capítulo da Grande Reportagem "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" dedicamo-nos às pessoas. Às pessoas que se sentam diante de um médico num momento de aflição. E às pessoas que, dentro das batas, lidam com a perigosa falta de tempo para dedicar a cada doente, com os absurdos caminhos burocráticos que limitam a qualidade e a quantidade do que podem oferecer aos doentes, com a falta de recursos humanos, com a falta de planificação e de estratégia a longo prazo. E com as diferenças entre o que podem oferecer aos doentes, dependendo da zona do país em que vivem.

    Grande Reportagem

  • "Herdeiros de Maio de 68"
    26:54

    Grande Reportagem SIC

    Há 50 anos, Paris e o mundo assistiram à revolta dos estudantes da Universidade de Nanterre, que invadiram a Sorbonne para exigir liberdade e a alteração das rígidas normas sociais do pós-guerra. O Maio de 68 apanhou, na capital francesa, milhares de portugueses que fugiam da fome, da guerra do Ultramar e da opressão de um país ainda distante das portas que Abril abriu. Nesta Grande Reportagem SIC, recordamos os momentos mais marcantes da revolta que decretou que "é proibido proibir".

    Grande Reportagem

  • O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro

    Grande Reportagem SIC

    Na próxima década, metade da população portuguesa terá uma doença oncológica. Mas o cancro será, cada vez menos, uma doença mortal. A medicina e a ciência avançam no diagnóstico, no tratamento e na prevenção. Se aplicássemos o que já sabemos sobre prevenção e diagnóstico precoce, a mortalidade por cancro reduziria mais de 50%. Entender melhor as muitas doenças a que chamamos cancro é um ponto de partida. A SIC procura respostas para as grandes perguntas sobre cancro em cinco Grandes Reportagens, emitidas às terças-feiras, no Jornal da Noite. "O Mal Entendido: As doenças a que chamamos cancro" é um trabalho de Miriam Alves, Rogério Esteves, Rui Berton e Diana Matias, com grafismo de Paulo Alves e Rui Aranha e ilustrações de António Jorge Gonçalves.

    Grande Reportagem

  • "O Mal Entendido: as doenças a que chamamos cancro" - capítulo 1 - Não há doenças, há doentes
    41:14

    Grande Reportagem SIC

    A SIC estreou no dia 8 de Maio, no Jornal da Noite a primeira de cinco Grandes Reportagens sobre a doença que mais tem aumentado no mundo. O cancro já foi uma inapelável sentença de morte e ainda é em tantos casos, mas evolui cada vez mais para doença crónica, possível de controlar. Ainda causa um sofrimento indizível, sim, mas a taxa de cura é cada vez mais animadora. É palavra que ainda custa pronunciar, mas é também no falar que começa o combate e a prevenção. Procuramos resposta para as grandes perguntas, por exemplo, o que é o cancro ou como chegamos aos tratamentos mais avançados, e a que preços. Neste primeiro capítulo, cruzam-se duas viagens: a da ciência e a de um homem a quem aos 35 anos diagnosticaram um cancro.

    Grande Reportagem

  • Ensaio sobre a saúde na Guiné-Bissau
    25:51

    Grande Reportagem SIC

    A Guiné-Bissau está na causa do índice de desenvolvimento humano das Nações Unidas. Nos hospitais guineenses falta quase tudo. Não há médicos especialistas, não há equipamentos e os remédios dados nos hospitais são todos pagos pelos doentes. É neste contexto difícil que o Instituto Ricardo Jorge está no país com a missão de capacitar o laboratório de saúde pública para o diagnóstico de doenças como a malária, a febre amarela ou a tuberculose, que tantas mortes provocam no país. Um ensaio sobre a saúde na Guiné-Bissau é a Grande Reportagem desta terça-feira.

    Grande Reportagem

  • Ensaio sobre a saúde na Guiné-Bissau

    Grande Reportagem SIC

    A Guiné está na cauda do índice de desenvolvimento humano das Nações Unidas. Mais de metade da população vive numa situação de pobreza extrema e a esperança média de vida é de 55 anos. Com um sistema político frágil e um serviço de saúde incerto, as taxas de mortalidade materno e infantil da Guiné-Bissau são das mais altas do mundo.

    Grande Reportagem