sicnot

Perfil

Cultura

Harrison Ford volta a protagonizar a sequela de "Blade Runner" 33 anos depois

O ator norte-americano Harrison Ford irá protagonizar a sequela do filme "Blade Runner - Perigo Eminente" (1982), um clássico da ficção científica, que vai contar com realização do canadiano Denis Villeneuve.

© Phil McCarten / Reuters

De acordo com a Alcon Entertainment, Harrison Ford, 72 anos, voltará a ser o detetive Rick Deckard, um papel que interpretou em 1982, no filme de Ridley Scott, ao lado de Rutger Hauer.


A rodagem da sequela só começará no verão de 2016 e sobre o argumento pouco se sabe. Apenas que a narrativa acontecerá, temporalmente, várias décadas depois dos acontecimentos passados em "Blade Runner", que tem como ponto de partida uma ideia de Ridley Scott.


Baseado numa obra de Philip K. Dick, "Do androids dream of electric sheep", "Blade Runner" é um filme de culto passado numa Los Angeles futurista, em 2019, com a civilização em decadência partilhada entre humanos e "replicantes", máquinas que são clones do ser humano. 


Denis Villeneuve, que terminou recentemente a rodagem de "Sicario", com Emily Blunt, Josh Brolin e Benicio Del Toro, é autor do filme "O homem duplicado", adaptação para cinema do romance homónimo de José Saramago.


Harrison Ford terminou recentemente a rodagem do filme "The force Awakens", da saga "Guerra das Estrelas", no papel de Han Solo.


Lusa

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.