sicnot

Perfil

Cultura

João Viana selecionado para o Cinéfondation do Festival de Cannes

O realizador português João Viana irá apresentar, em maio, em França, o projeto do filme "Our Madness", no "Atelier de la Cinéfondation", uma iniciativa do Festival de Cinema de Cannes que permite o acesso a coproduções internacionais.

© Eric Gaillard / Reuters

A organização do festival de Cannes anunciou hoje a lista dos quinze realizadores e projetos selecionados - os que são considerados "mais promissores" - para a edição deste ano do "Atelier de la Cinéfondation" e, entre eles, está João Viana e o projeto da segunda longa-metragem de ficção, "Our Madness". 

O Cinéfondation foi criado em 2005, no âmbito do festival de Cannes, com o objetivo de "estimular o cinema criativo e encorajar o aparecimento de uma nova geração de realizadores", proporcionando-lhes acesso a coprodutores internacionais que permitam "acelerar a conclusão" dos seus projetos.

Contactado pela agência Lusa, João Viana, autor de "A batalha de Tabatô", explicou que "Our Madness" é um retrato sobre a atualidade política e social de Moçambique. O argumento é do realizador e a rodagem deverá ter início depois do verão, um pouco por todo aquele país africano.

A coprodução será entre Portugal, França e Moçambique.

João Viana, filho de portugueses e nascido em Angola, é autor de várias curtas-metragens, selecionadas para festivais internacionais, e da longa-metragem "A batalha de Tabatô", rodado numa aldeia na Guiné-Bissau, um filme já premiado em Berlim.

Sobre a seleção de "Our Madness", João Viana mostrou-se entusiasmado, afirmando que o Cinéfondation representa uma maior projeção dentro do festival. "É muito assustador, mas há que aproveitar a oportunidade. Eu julgava que o primeiro filme era o mais importante [na carreira de um realizador], mas afinal é o segundo. O Tabatô foi feito sem dinheiro nenhum e correu bem. Vamos ver".

Este ano, o Atelier de la Cinéfondation decorrerá de 13 a 24 de maio e conta com 15 realizadores de 14 países, nomeadamente Colômbia, Irão, Sri Lanka, África do Sul, Espanha e França, e também do Brasil, com "Butterfly Diaries", projeto de Paula Un Mi Kim.








Lusa
  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.