sicnot

Perfil

Cultura

Vhils foi a Washington questionar a liberdade

O artista plástico Alexandre Farto, conhecido como Vhils, tem patente até dia 24 de março, no Kennedy Center, em Washington, uma instalação que tem por objetivo levantar questões sobre liberdade. 

© Rafael Marchante / Reuters

"Há uma multiplicidade de ideias sobre liberdade, mas a liberdade, para ser real, tem de ser aceite por todos. Foi esta reflexão que conduziu este trabalho", explicou Vhils à agência Lusa.

Quem entra no centro cultural da capital norte-americana, pelo Hall of Nations, decorado com dezenas de bandeiras de todo o mundo, começa por ver centenas de folhas de papel brancas suspensas do teto a diferentes alturas.

A partir de um único ponto, assinalado com a impressão de dois pés, é possível ver todas essas folhas alinhadas para formar a palavra "freedom", liberdade em inglês.

Um passo para os lados e a palavra começa a desfazer-se; um passo para trás e a inscrição desaparece quase de imediato; um passo em frente e é como se a palavra implodisse, com as folhas a projetarem-se em todas as direções. 

"Queria mostrar que a liberdade é algo que depende do indivíduo, da sua situação e da sua cultura. É por isso que cada pessoa pode escolher ver a instalação à sua maneira", explicou Vhils à agência Lusa.

O artista sentiu-se inspirado pelo local, para criar esta peça: um centro cultural, nos Estados Unidos, batizado em nome do presidente John F. Kennedy, numa entrada onde estão bandeiras de todos os países que têm relações diplomáticas com os Estados Unidos. 

"Estamos nos Estados Unidos, o país que mais usa o argumento da luta pela liberdade, mas não vim aqui para julgar, vim levantar questões. É também uma peça que tem muito a ver com o momento que atravessamos, com o ataque ao Charlie Hebdo e todas as notícias que dão conta de um estado de vigilância", explicou o artista. 

O trabalho faz parte de "Iberian Suite: Arts Remix Across Continents", iniciativa de divulgação da cultura de Portugal e de Espanha, que conta com a participação de artistas da lusofonia e da América Latina e que acontece até 24 de março, na capital federal norte-americana.

Este ano, Vhils surgiu nas listas '30 under 30', da revista norte-americana Forbes, que destaca jovens de sucesso, a nível mundial, com menos de 30 anos.

O artista, que já fez murais em mais de 50 cidades de todo o mundo, teve uma exposição a solo, chamada "Dissecação/Dissection", patente em Lisboa, no Museu da Eletricidade, que atraiu mais de 65 mil visitantes em três meses de 2014.

 
Lusa
  • "Estamos vivos"
    11:41

    Reportagem Especial

    Os incêndios de 15 de outubro provocaram sete milhões de euros de prejuízos em empresas da região Norte. Castelo de Paiva foi o concelho mais atingido, o fogo destruiu várias casas e empresas que davam trabalho a cerca de 200 pessoas. Um mês depois do incêndio, a Reportagem Especial da SIC foi ver o que está a ser feito para ajudar a população.

  • Administrador recebia 420 mil € por ano quando aldeamento passava dificuldades
    4:39

    Operação Marquês

    A Caixa Geral de Depósitos tentou cortar para metade o salário do presidente do Conselho de Administração de Vale do Lobo, mas não conseguiu. Diogo Gaspar Ferreira ganhava 420 mil euros por ano, quando o empreendimento estava enterrado em dívidas. A Autoridade Tributária estima também que o arguido da Operação Marquês não tenha declarado 400 mil euros pagos pelo aldeamento.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27
  • Político oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Peru faz aparição especial na Casa Branca
    1:10

    Mundo

    Os norte-americanos estão a preparar-se para o tradicional Dia de Ação de Graças, assinalado na próxima quinta-feira. O tradicional peru fez esta terça-feira uma aparição especial na sala de conferências de imprensa, na Casa Branca, em Washington. O peru é o prato tradicional no Dia de Ação de Graças, uma data de louvor a Deus, que remonta ao século XVII e que é celebrada na quarta quinta-feira de novembro, sobretudo nos Estados Unidos da América e no Canadá.

  • Sara Sampaio brilha em Xangai
    1:50