sicnot

Perfil

Cultura

Investigadores acreditam ter encontrado restos mortais de Miguel de Cervantes

Uma equipa de investigadores acredita ter encontrado os restos mortais do escritor Miguel de Cervantes e da sua mulher, Catalina de Salazar, na igreja das Trinitárias, em Madrid, indicaram à agência EFE fontes próximas do projeto.

© Susana Vera / Reuters

Os ossos foram encontrados em "muito mau estado" e misturados com material ósseo de vários outros adultos, num dos nichos da cripta que continha uma tábua com as iniciais M.C. (a pista que levou os investigadores a acreditar que estariam ali os restos do autor de D.Quixote).

Segundo as fontes citadas pela EFE, as análises de laboratório indicam que se trata de Cervantes e da sua mulher. 

Os investigadores indicaram que os restos - presumivelmente de Cervantes - foram encontrados não no local onde foi originariamente enterrado em 1616, mas sim num local para onde trasladaram os seus ossos em 1673, ano em que começaram as obras de remodelação da igreja.

O jornal El País escreve, por outro lado, que a Câmara Municipal de Madrid (Ayuntamiento) vai anunciar, "em breve" a descoberta dos restos ósseos de Miguel de Cervantes, sublinhando que estes nunca saíram da igreja madrilena. Por outro lado, a Câmara Municipal vai - segundo o El País - revelar que um grande fragmento da mandíbula de Cervantes e outros ossos seus foram encontrados no ataúde com as iniciais M.C. entre vários restos de ossos, mas de criança.

Por último, ainda segundo o jornal, o município madrileno vai anunciar que planeia instalar na própria cripta "um túmulo digno", com um design novo, transformando-o num local que possa ser visitado pelo público.

A equipa do município quer completar o projeto até ao mês de abril de 2016, data que marca o 400.º aniversário da morte do escritor.

O Ayuntamiento de Madrid financiou o projeto para encontrar os restos mortais de Cervantes na igreja onde foi enterrado, por seu desejo. Cervantes era um grande devoto da Ordem Trinitária, que o resgatou após cinco anos de cativeiro em Argel.

No convento anexo à Igreja das Trinitárias ainda vivem treze religiosas que, inicialmente, se opuseram às buscas, mas que acabaram por concordar com o projeto.

Os trabalhos começaram em finais de abril de 2014, quando a equipa localizou quatro sepulturas na igreja e na cripta com os nichos.

Após meses de burocracia para obter as autorizações necessárias, começou a 22 de janeiro a fase antropológica do projeto, quando cerca de 30 investigadores começaram as buscas na cripta, de setenta metros quadrados (e a cinco metros de profundidade).


Lusa
  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.