sicnot

Perfil

Cultura

Brasil vai extraditar escritor italiano Cesare Battisti

A Polícia Federal do Brasil anunciou hoje, em comunicado, ter prendido o escritor italiano e antigo militante de extrema-esquerda Cesare Battisti, condenado nos anos 1970 em Itália a prisão perpétua por vários assassínios.

© Ricardo Moraes / Reuters

"A Polícia Federal cumpriu um mandado de prisão administrativa para fins de deportação do italiano Cesare Battisti", refere o texto.

Segundo o comunicado, a prisão foi feita na cidade de Embu das Artes, no Estado de São Paulo, na sequência de uma decisão do tribunal.

O escritor vai ficar preso na superintendência regional da polícia de São Paulo até à "deportação ser efetivada".

A decisão foi tomada por uma juíza federal de Brasília, que "considerou nulo o ato do Governo federal que concedeu permanência no Brasil" ao escritor, noticiou a imprensa brasileira.

Segundo a imprensa, Battisti foi condenado em Itália a prisão perpétua por homicídio quando fazia parte do grupo dos Proletariados Armados pelo Comunismo.

O escritor fugiu para o Brasil em 2004, foi detido em 2007, mas em 2010 o antigo chefe de Estado brasileiro Lula da Silva considerou Battisti "alvo de perseguição e negou a extradição".

Lusa
  • Presidente do Conselho Europeu admite divergências com Trump

    Mundo

    O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, admitiu hoje que a reunião mantida em Bruxelas com o presidente norte-americano, Donald Trump, permitiu constatar pontos de concordância em várias áreas, mas também de discordância noutras, como clima, comércio e Rússia."

  • Mourinho volta a conquistar a Europa

    Liga Europa

    O Manchester United conquistou esta quarta-feira a Liga Europa pela primeira vez. Este foi o quarto título europeu para Mourinho, depois das conquistas da Taça UEFA, em 2002/03, e da Liga dos Campeões, em 2003/04 e 2009/10.

  • Mexicana vence ultramaratona a correr de sandálias e de saia

    Desporto

    Uma mexicana venceu uma ultramaratona de 50 quilómetros a correr de saia e sandálias de borracha. María Lorena Ramírez, de 22 anos, não é atleta profissional, nem recebeu treino específico para a Ultra Trail Cerro Rojo, prova que venceu, mas pertence à tribo Tarahumara, com uma longa e invulgar tradição de excelentes corredores.

    SIC

  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08