sicnot

Perfil

Cultura

Blur atuam a 17 de julho no Super Bock Super Rock

O grupo pop rock britânico Blur atuará a 17 de julho no Meo Arena, em Lisboa, no festival Super Bock Super Rock, que transita do Meco para o Parque das Nações.

optimusprimaverasound.com (photocredit Linda Brownlee)

optimusprimaverasound.com (photocredit Linda Brownlee)

A notícia do regresso do grupo a Portugal foi dada na quinta-feira à noite pela revista Blitz e só confirmada hoje pela organização.

Os Blur, que atuaram no Porto em 2013 no festival Primavera Sound, editam em abril o álbum "The Magic Whip", o primeiro em mais de dez anos.

"The Magic Whip" é o oitavo álbum da banda e começou a ser gravado na primavera de 2013, em Hong Kong. As gravações acabaram por ficar na gaveta, com cada um dos músicos a seguir o seu caminho, mas, no final de 2014, o guitarrista Graham Coxon voltou aos temas, o vocalista Damon Albarn escreveu as letras, juntaram-se os restantes elementos e o registo ficou pronto.

Com uma imagem gráfica que remete para a China, "The Magic Whip" foi coproduzido por Stephen Street, que participou nos registos anteriores dos Blur.

Os Blur integram o vocalista Damon Albarn, o guitarrista Graham Coxon, o baixista Alex James e o baterista Dave Rowntree. Surgiram em Colchester, em 1989, e tornaram-se um dos principais nomes da "britpop" da década seguinte, com temas como "Girls & Boys", "Parklife", "Song 2" e "End of century".

Editaram sete álbuns, entre os quais "Modern life is rubbish" (1993), "Parklife" (1994) e "Think Tank" (2003), depois do qual se separaram, com cada um dos músicos a prosseguir percursos distintos, dentro e fora da música.

Voltaram a juntar-se anos depois para concertos esporádicos, entre os quais um espetáculo em 2009, no Hyde Park, em Londres, comemorativo dos vinte anos da fundação da banda e posteriormente editado em DVD.

A 21ª. edição do Festival SBSR acontecerá de 16 a 18 de julho no Parque das Nações e do cartaz fazem parte Franz Ferdinand com Sparks, Sting, dEUS, Kate Tempest, Perfume Genius, Kindness, Florence and the Machine e Banda do Mar, entre outros.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.