sicnot

Perfil

Cultura

Prémio Vasco Graça Moura de cidadania cultural tem o valor de 40.000 euros

O Grupo Estoril-Sol anunciou hoje que o Prémio Vasco Graça Moura, instituído este ano, tem o valor de 40.000 euros, e que o Prémio Revelação Literária Agustina Bessa-Luís vai duplicar o valor pecuniário, para 10.000 euros.

JOSE COELHO

O Prémio Vasco Graça Moura, uma homenagem ao poeta, escritor e ensaísta falecido em abril do ano passado, que presidiu ao júri dos prémios literários Fernando Namora e Agustina Bessa-Luís, tem "uma natureza muito abrangente, e é vocacionado para distinguir a cidadania cultural", afirma a Estoril-Sol em comunicado.

O galardão terá uma periodicidade anual, no valor de 40.000 euros, e "estabelece uma nova parceria da Estoril-Sol com a Editora Babel", segundo a mesma fonte, sem adiantar pormenores.

O Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís, cujo valor pecuniário passou de 5.000 para 10.000 euros, foi criado em 2008, no âmbito das comemorações do 50.º aniversário da Estoril-Sol, e "propõe-se distinguir, anualmente, um romance inédito de autor português, sem qualquer obra publicada no género e com idade não superior a 35 anos".

No ano passado, tal como aconteceu na primeira edição, o galardão não foi entregue, dada a "falta de qualidade das obras apresentadas", conforme ficou exarado em ata pelo júri. Além do valor pecuniário, a obra vencedora é publicada pela editora Gradiva.

Paula Cristina Torres Rodrigues, com o romance "Horizonte e Mar", foi a mais recente vencedora deste galardão, em 2013, tendo a obra sido publicada no ano passado.

O grupo, no mesmo comunicado, afirma que volta a instituir, este ano, o Prémio Literário Fernando Namora, destinado a romances publicados no ano transato, e com o valor pecuniário de 15.000 euros. 

Bruno Vieira do Amaral, com o romance "As Primeiras Coisas", foi o vencedor deste galardão, em 2014.

O júri dos prémios literários é presidido por Guilherme d'Oliveira Martins, em representação do Centro Nacional de Cultura, e integra ainda José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores, Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa de Críticos Literários, Maria Carlos Loureiro, pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Maria Alzira Seixo, Liberto Cruz e João Lobo Antunes, convidados a título individual e ainda Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, pela Estoril-Sol.

Lusa
  • Roger Moore, o ator que foi 007 e um Santo
    1:26

    Cultura

    Morreu Roger Moore. O ator britânico tinha 89 anos e morreu na Suíça, vítima de cancro. Ficou conhecido pelo mítico papel de James Bond entre os anos 70 e 80, tendo sido o ator que mais tempo se manteve no papel. Em 2003, foi condecorado pela rainha Isabel II e tornou-se Sir Roger Moore.

  • Ucrânia limita utilização do russo na televisão

    Mundo

    O Parlamento da Ucrânia aprovou esta terça-feira uma lei que determina que três quartos dos programas televisivos dos canais nacionais devem ser transmitidos em ucraniano, medida que visa limitar o uso da língua russa naquele país.