sicnot

Perfil

Cultura

"As asas do vento", último filme de Hayao Miyazaki, já está nos cinemas

A longa-metragem de animação "As asas do vento", possivelmente o derradeiro filme do realizador japonês Hayao Miyazaki, estreia-se hoje nos cinemas.

© Kevork Djansezian / Reuters

O filme, que teve antestreia no festival Monstra, estará em cena em Lisboa e no Porto apenas por duas semanas e na versão japonesa, legendada em português, contrariando a prática atual de dobragem dos filmes de animação.

Produtor, realizador, autor de manga e co-fundador dos estúdios Ghibli, Hayao Miyazaki, 74 anos, é considerado um dos mestres do cinema de animação. 

"As asas do vento", o filme japonês mais lucrativo de 2013 no Japão e que esteve nomeado para os Óscares em 2014, inspira-se na história do engenheiro Jiro Horikoshi, que desenhou um dos aviões de guerra usados pelo Japão na Segunda Guerra Mundial.

Para criar a personagem central do filme, Jiro, um aspirante a engenheiro aeronáutico, Miyazaki baseou-se ainda num romance do autor Tatsuo Hori, que foi contemporâneo de Jiro Horikoshi.

Na nota de intenções, Miyazaki explica que quis retratar alguém persistente que persegue um sonho durante a juventude e idade adulta, num tempo em que o Japão viveu o grande terramoto de 1923, a Grande Depressão, a epidemia de tuberculose e a entrada na guerra.

Miyazaki fez saber várias vezes que "As asas do vento" seria, possivelmente, o seu último filme, culminar de uma carreira influente no cinema de animação mundial, com obras como "O meu vizinho Totoro" (1988), "Porco Rosso" (1992), "A princesa Mononoke" (1997), "A viagem de Chihiro" (2001) - que lhe valeu um Óscar e um Urso de Ouro em Berlim - e "Ponyo à beira-mar".

É ainda autor de séries de televisão - como "Conan, o rapaz do futuro" - e manga (banda desenhada japonesa), como a série "Nausicaa".

Hayao Miyazaki foi ainda um dos fundadores, juntamente com Isao Takahata, dos estúdios Ghibli, de onde saíram todas aquelas produções.

Isao Takahata, 79 anos, é um dos realizadores homenageados este ano no festival Monstra, que exibiu em antestreia "O conto da princesa Kaguya".

Esta longa-metragem, baseada num conto popular japonês sobre uma bebé que é encontrada dentro de uma cana de bambu e que se tornará numa princesa, terá estreia comercial em Portugal a 2 de abril.

Lusa
  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • Sociedade de Pneumologia recomenda cuidados com calor e incêndios

    País

    A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) alertou esta quarta-feira para os riscos respiratórios decorrentes dos incêndios e temperaturas elevadas, sobretudo para quem sofre de doenças crónicas, propondo medidas preventivas e recordando o aumento de mortalidade associado ao calor.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14
  • Mulher vive sozinha numa ilha há 40 anos

    Mundo

    Zoe Lucas é a única pessoa a viver numa ilha canadiana, no norte do Atlântico. Nas últimas quatro décadas, a mulher de 67 tem partilhado a ilha Sable com cerca de 400 cavalos selvagens e 350 espécies de pássaros.