sicnot

Perfil

Cultura

"As asas do vento", último filme de Hayao Miyazaki, já está nos cinemas

A longa-metragem de animação "As asas do vento", possivelmente o derradeiro filme do realizador japonês Hayao Miyazaki, estreia-se hoje nos cinemas.

© Kevork Djansezian / Reuters

O filme, que teve antestreia no festival Monstra, estará em cena em Lisboa e no Porto apenas por duas semanas e na versão japonesa, legendada em português, contrariando a prática atual de dobragem dos filmes de animação.

Produtor, realizador, autor de manga e co-fundador dos estúdios Ghibli, Hayao Miyazaki, 74 anos, é considerado um dos mestres do cinema de animação. 

"As asas do vento", o filme japonês mais lucrativo de 2013 no Japão e que esteve nomeado para os Óscares em 2014, inspira-se na história do engenheiro Jiro Horikoshi, que desenhou um dos aviões de guerra usados pelo Japão na Segunda Guerra Mundial.

Para criar a personagem central do filme, Jiro, um aspirante a engenheiro aeronáutico, Miyazaki baseou-se ainda num romance do autor Tatsuo Hori, que foi contemporâneo de Jiro Horikoshi.

Na nota de intenções, Miyazaki explica que quis retratar alguém persistente que persegue um sonho durante a juventude e idade adulta, num tempo em que o Japão viveu o grande terramoto de 1923, a Grande Depressão, a epidemia de tuberculose e a entrada na guerra.

Miyazaki fez saber várias vezes que "As asas do vento" seria, possivelmente, o seu último filme, culminar de uma carreira influente no cinema de animação mundial, com obras como "O meu vizinho Totoro" (1988), "Porco Rosso" (1992), "A princesa Mononoke" (1997), "A viagem de Chihiro" (2001) - que lhe valeu um Óscar e um Urso de Ouro em Berlim - e "Ponyo à beira-mar".

É ainda autor de séries de televisão - como "Conan, o rapaz do futuro" - e manga (banda desenhada japonesa), como a série "Nausicaa".

Hayao Miyazaki foi ainda um dos fundadores, juntamente com Isao Takahata, dos estúdios Ghibli, de onde saíram todas aquelas produções.

Isao Takahata, 79 anos, é um dos realizadores homenageados este ano no festival Monstra, que exibiu em antestreia "O conto da princesa Kaguya".

Esta longa-metragem, baseada num conto popular japonês sobre uma bebé que é encontrada dentro de uma cana de bambu e que se tornará numa princesa, terá estreia comercial em Portugal a 2 de abril.

Lusa
  • O dia em que o Brexit começa
    1:25

    Brexit

    A primeira-ministra britânica já assinou a carta que vai enviar ao Conselho Europeu para formalizar a vontade do Reino Unido de sair da União Europeia. O artigo 50.º do Tratado de Lisboa será ativado nas próximas horas. Na véspera, Theresa May recebeu da Escócia um novo contratempo político.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45
  • Relação de Portugal com Angola é "insubstituível"
    1:00

    País

    Paulo Portas considera que a relação de Portugal com Angola é insubstituível. Numa entrevista ao Jornal de Negócios, o ex vice-primeiro-ministro defende que o país deve ser profissional no relacionamento político com Luanda.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Governo vai dar mais meios à investigação criminal
    2:34

    País

    A ministra da Justiça garante que o Governo vai dar mais meios à investigação criminal, mas assegura que não vai mexer nos prazos dos inquéritos. A questão tem sido insistentemente levantada pela defesa de José Sócrates, que se queixa de que a Operação Marquês já ultrapassou todos os prazos.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.