sicnot

Perfil

Cultura

Obra de Paula Rego vendida por 180 mil euros num leilão em Lisboa

A obra da artista Paula Rego intitulada "Pioneiros" foi vendida em Lisboa por 180 mil euros num leilão de Arte Moderna e Contemporânea organizado pela Veritas, revelou esta quinta-feira à agência Lusa fonte da leiloeira.

O trabalho, proveniente de uma coleção privada portuguesa, integrou a exposição "Paula Rego: Paintings 1982-83", apresentada na Arnolfini Gallery, em Bristol, e na Edward Totah Gallery, em Londres, em 1983, e no Studio Marconi, em Milão, no ano seguinte. (Arquivo)

O trabalho, proveniente de uma coleção privada portuguesa, integrou a exposição "Paula Rego: Paintings 1982-83", apresentada na Arnolfini Gallery, em Bristol, e na Edward Totah Gallery, em Londres, em 1983, e no Studio Marconi, em Milão, no ano seguinte. (Arquivo)

PAULO DUARTE / AP

A obra "Pioneiros", um acrílico sobre papel colado em tela criado por Paula Rego em 1982, foi vendido na quarta-feira à noite pela base mínima de licitação, 180 mil euros. 

O trabalho, proveniente de uma coleção privada portuguesa, integrou a exposição "Paula Rego: Paintings 1982-83", apresentada na Arnolfini Gallery, em Bristol, e na Edward Totah Gallery, em Londres, em 1983, e no Studio Marconi, em Milão, no ano seguinte. 

O quadro estava entre os 184 lotes que foram à praça neste leilão, onde também se venderam obras, entre outros artistas, de Maria Helena Vieira da Silva, Rui Chafes, Julião Sarmento e Pedro Cabrita Reis. 

O óleo sobre tela "Tenture de lumière" (1981), de Maria Helena Vieira da Silva, projeto de tapeçaria da artista para a capela da embaixada de França em Lisboa, foi vendido por 40 mil euros, o valor base da licitação.

Outra obra de Vieira da Silva, em têmpera sobre papel, assinada e datada de 1985, foi vendida por 30 mil euros.

Ainda segundo a Veritas, a escultura em ferro de Rui Chafes, intitulada "Corpo majestosamente doente" (1999), também foi vendida pelo valor mínimo de licitação, de 10 mil euros.
Lusa
  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.