sicnot

Perfil

Cultura

"Luzes, Câmara...Música" é o mote dos Dias da Música em Belém

O Dias da Música em Belém, que decorrem de 24 a 26 de abril, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, são dedicados à música no cinema, foi hoje divulgado.

Centro Cultural de Belém. (Lusa/Arquivo)

Centro Cultural de Belém. (Lusa/Arquivo)

© Desmond Boylan / Reuters

"Luzes, Câmara... Música!" é o mote da edição deste ano, que apresenta um "leque variado de ofertas musicais, da música erudita ao jazz, do fado à música latino-americana e até aos grandes temas que, tendo sido apresentados no Cinema, se tornaram em verdadeiros fenómenos de popularidade", afirma o CCB em comunicado.

A edição deste ano tem um concerto pré-inaugural pelo Alis Ubbo Ensemble, no dia 23, no Cinema S. Jorge, seguindo-se a exibição do filme "Around the world in 50 concerts" (2014), de Heddy Honigmann, no âmbito do Festival IndieLisboa.

Durante os três dias, além dos concertos, a programação inclui oficinas, conferências e a exibição de filmes.

Na sexta-feira, dia 24, realizam-se os "Mini-Dias da Música" com concertos de escolas para escolas, uma iniciativa que, no ano passado, juntou cerca de 600 alunos de música.

Este ano, a OJ.com, a Orquestra de Jovens de alunos dos conservatórios, dirigida por Ernst Schelle, interpreta, no grande auditório, o "Poema sinfónico para flauta e orquestra", de Peter Benoit, e "Scheherazade", de Rimsky-Korsakov, sendo solista Beatriz da Silva Baião.

Ainda no dia 24, às 21:30 realiza-se o concerto inaugural pela Orquestra Sinfónica Metropolitana, sob a direção de Pedro Amaral, que interpretará peças de Richard Strauss e Sergei Rachmaninov, sendo solista a pianista Anna Fedorova.

O CCB salienta ainda a importância da música na sétima arte, e cita o realizador Alfred Hitchcock, que trabalhou estreitamente com o compositor Bernard Herrmann, segundo o qual, no cinema, "a música, a música é o segredo".

"Os próprios irmãos Lumière [inventores do cinema] estavam conscientes disso quando fizeram acompanhar as suas primeiras projeções por uma pequena orquestra, tal como viria a acontecer ao longo das primeiras décadas de exibição", realça o CCB, que refere ainda que o primeiro filme sonoro foi "O Cantor de Jazz" (1927). 

Em Portugal, o primeiro filme sonoro foi inspirado na vida da fadista Maria Severa, protagonizado por Dina Tereza, e que se estreou em 1931.

O cartaz dos Dias da Música inclui, entre outros, a Big Band Júnior, o pianista Mário Laginha, a Camerata Atlântica, o violinista Bruno Monteiro, acompanhado pelo pianista João Paulo Santos, o Ensemble Darcos, os acordeonistas Gonçalo Pescada e Paulo Jorge Ferreira, o Grupo Vocal Olisipo, a meio-soprano Vivica Genaux e o painista Pedro Burmester.

Dos diferentes programas fazem parte composições de Bach, Ligeti, Handel, Vivaldi, Mozart, Beethoven, Schubert, Rossini, Liszt, Chopin, Wagner, Brahms, Tchaikovsky, Mahler, Richard Strauss ou Samuel Barber, todas elas associadas a sequências do cinema.

Afirma o CCB, que o cinema fez "uma apropriação cada vez maior das obras intemporais da história da música, dando-lhes toda uma dimensão cénica, a ponto de muitas vezes sermos levados a esquecer o sentido original da obra".

Os bilhetes para os Dias da Música em Belém estão à venda a partir de quinta-feira.


Lusa
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.