sicnot

Perfil

Cultura

Edição dos 20 anos do Portugal Fashion arranca hoje em Lisboa

A 36ª edição do Portugal Fashion, que comemora os 20 anos do evento de moda, arranca hoje em Lisboa com a apresentação das coleções para a próxima estação fria dos criadores Storytailors e da dupla Alves/Gonçalves.

MIGUEL A. LOPES

Sob o tema "Reflector", o Portugal Fashion volta a começar na capital portuguesa, seguindo depois até sábado no Porto, com desfiles espalhados por diferentes edifícios da cidade.

Os Storytailors, de João Branco e Luís Sanchez, iniciam os desfiles às 19:30, no Palácio da Foz, apresentando uma coleção moldada pelas lãs e pelo algodão e inspirada em contos portugueses e venezuelanos que permitem "associações insólitas de ideias e sensações" e "esperam influenciar a imaginação de quem assiste", segundo informação da organização.

Já na Carpintaria de São Lázaro, a dupla Alves/Gonçalves encerra o primeiro dia do 36.º Portugal Fashion, às 22:30, com a apresentação de uma coleção inspirada num "ambiente sombrio, romântico e introspetivo", na qual predominam as silhuetas longas e o "maxi impera" com cores fortes.

Antes, no mesmo local, pelas 21:30, desfilam as propostas para o próximo outono/inverno da marca Hibu e da jovem criadora Carla Pontes, ambos na plataforma Bloom.

Em termos cromáticos, a Hibu vai apostar nos azuis em tons escuros e claros, nos cinzentos, no verde e no amarelo claro, cores que vão estampar tecidos como a lã, linho e o 'fleece' italiano, num "estilo urbano, desportivo e 'dark' para um cenário minimal e desconstrutivo".

A jovem designer Carla Pontes criou "Órbita", uma coleção reforçada por peças que fazem lembrar "grãos de granito, texturas e terraços", influenciada pela órbitra da Terra.

Para a edição comemorativa das duas décadas do Portugal Fashion estão programados 31 desfiles, que reúnem 17 criadores, nove marcas de vestuário, seis marcas de calçado, seis jovens designers e quatro marcas de jovens estilistas.


Lusa

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.