sicnot

Perfil

Cultura

Festa do Cinema Italiano decorre até ao dia 2 de abril em Lisboa

A realizadora italiana Alice Rohrwacher apresenta hoje, em Lisboa, o filme "O país das maravilhas", na abertura oficial da Festa do Cinema Italiano, que cumpre a oitava edição até 2 de abril, na capital.

© Agencja Gazeta / Reuters

Premiado em 2014, em Cannes, "O país das maravilhas", sobre uma família peculiar, será exibido no cinema São Jorge em antestreia nacional. Alba Rohrwacher, protagonista e irmã da realizadora, também estará em Lisboa.

Este ano, a Festa do Cinema Italiano - com uma das mais extensas programações - mostrará "Que estranho chamar-se Federico", documentário de Ettore Scola sobre uma das maiores figuras do cinema italiano, Federico Fellini, que morreu há vinte anos.

Haverá ainda uma retrospetiva dedicada a Sergio Leone, mestre do "western spaghetti", em parceria com a Cinemateca Portuguesa, e que inclui uma versão em cópia restaurada de "Era uma vez na América" e de "O bom, o mau e o vilão".

 A Festa do Cinema Italiano abre uma janela para a produção televisiva e exibirá na íntegra "Gomorra", a série de Stefano Sollima, Francesca Comencini e Claudio Cupellini, baseada na obra homónima de Roberto Saviano.

Também em cópia restaurada será exibido "Cinema Paraíso", premiado filme de Giuseppe Tornatore.

A secção competitiva contará com "Almas negras", de Francesco Munzi, "As belas coisas", de Agostino Ferrente e Giovanni Piperno, "Incompreendida", de Asia Argento, "Com a graça de Deus", de Edoardo Winspeare, "Mais escuro que a meia-noite", de Sebastiano Riso, e "Short skin", de Duccio Chiarini.

O encerramento em Lisboa acontecerá a 02 de abril, com a comédia "O rapaz invisível", de Gabriele Salvatore, sobre um adolescente que descobre que o fato que comprou tem o poder de o tornar invisível. 

Pela primeira vez, a mostra terá programação infantil, intitulada "Piccolini", focada em algumas figuras conhecidas, nomeadamente Pinóquio, Topo Gigio e Calimero.

Depois de Lisboa, a Festa do Cinema Italiano segue para o Porto (de 09 a 12 de abril), Coimbra, Loulé e Funchal.  

Lusa
  • Equipa da SIC impedida de entrar na Venezuela

    País

    A SIC tinha uma equipa a caminho da Venezuela para cobrir as eleições da Assembleia Constituinte que decorrem no domingo. No entanto o jornalista Luís Garriapa e o repórter de imagem Odacir Junior foram impedidos de entrar no país. A equipa de reportagem foi barrada à chegada ao aeroporto de Caracas. Num despacho enviado à companhia aérea que os transportou, tanto o jornalista como o repórter de imagem são considerados "inadmissíveis no território da Venezuela".

  • "Fomos considerados inadmissíveis no território da Venezuela"
    4:43

    País

    O jornalista Luís Garriapa entrou em direto no Jornal da Noite, para explicar o que aconteceu esta quinta-feira, no aeroporto de Caracas. A equipa de reportagem de SIC foi impedida de entrar na Venezuela, onde ia cobrir as eleições da Assembleia Constituinte, marcadas para domingo.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25
  • Costa alerta para "condições particularmente adversas"
    1:47

    País

    O primeiro-ministro alertou para a possibilidade de novos incêndios de grandes dimensões, muito por causa da situação de seca que grande parte do território atravessa. António Costa pediu aos portugueses um "particular cuidado com todos os comportamentos de risco".

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.