sicnot

Perfil

Cultura

Prémios Sophia do cinema português entregues hoje

"Os gatos não têm vertigens", de António-Pedro Vasconcelos, e "Os Maias", de João Botelho - dois dos filmes portugueses mais vistos de 2014 - lideram as nomeações para os prémios Sophia, cuja cerimónia acontece hoje em Lisboa.

Esta é a quarta edição dos prémios da Academia Portuguesa de Cinema, que decorrerá no Centro Cultural de Belém, e cujo tema é dedicado às mulheres na sétima arte.


"Os gatos não têm vertigens", de António-Pedro Vasconcelos, conta com 15 nomeações, nas principais categorias - melhor filme, realização, montagem, fotografia, representação, argumento original. O filme teve cerca de 93 mil espetadores.


"Os Maias -- Cenas da vida romântica", de João Botelho, visto nos cinemas por mais de 114 mil espetadores, em 2014, soma 13 nomeações, também nas principais categorias. Com doze nomeações surge "O grande Kilapy", do realizador angolano Zezé Gamboa.


Para melhor filme estão nomeados "A vida invisível", de Vítor Gonçalves, "O grande Kilapy", "Os gatos não têm vertigens" e "Os Maias". Todos os realizadores estão nomeados na categoria de melhor realização.


Leonor Seixas, Maria do Céu Guerra, Maria João Pinho e Sara Barros Leitão estão nomeadas para o Sophia de representação principal. Para melhor ator principal foram escolhidos Filipe Duarte, Graciano Dias, João Jesus e João Lagarto.


Para melhor documentário vão a votos "Guerra ou paz", de Rui Simões, "Fado Camané", de Bruno de Almeida", "E agora? Lembra-me", de Joaquim Pinto, e "Alentejo, Alentejo", de Sérgio Tréfaut.


A atriz Eunice Muñoz e o ator e encenador Luís Miguel Cintra vão ser distinguidos com o Prémio Carreira.


Os prémios Sophia foram lançados em 2012, para distinguir os profissionais do cinema nacional pelos próprios pares, e incluem cerca de duas dezenas de categorias.


A cerimónia terá transmissão em direto pela RTP2.


Lusa
  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.