sicnot

Perfil

Cultura

Aprovado voto de pesar da Câmara do Porto e minuto de silêncio pela morte de Manoel de Oliveira

O executivo da Câmara do Porto aprovou hoje por unanimidade o voto de pesar pela morte do realizador português Manoel de Oliveira, ocorrida na quinta-feira, e cumpriu um minuto de silêncio durante a reunião pública da autarquia.

JOS\303\211 COELHO

A proposta, apresentada no período de antes da ordem do dia da sessão pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, pretendeu ainda ratificar o despacho do autarca que decretou três dias luto municipal pela morte do cineasta.

O funeral do realizador português Manoel de Oliveira, que morreu na quinta-feira, realizou-se na sexta-feira, no Porto, com o país a cumprir o segundo dia de luto nacional pelo realizador.

Manoel de Oliveira, que dizia que a vida era um mistério e uma derrota, morreu na quinta-feira, em casa, no Porto, aos 106 anos, tendo a sua morte sido lamentada por variados quadrantes da sociedade e com ecos na imprensa internacional. 

O último filme de Manoel de Oliveira foi a curta-metragem "O velho do Restelo", "uma reflexão sobre a Humanidade", estreada em dezembro passado, por ocasião do 106º aniversário.

No final deste mês ou no começo de maio, será exibido, em Lisboa e no Porto, o filme "Visita ou memórias e confissões", que o realizador Manoel de Oliveira rodou em 1982, para apenas ser mostrado publicamente após a sua morte.

Na reunião de hoje, o executivo portuense aprovou ainda por unanimidade mais três votos de pesar e outros tantos minutos de silêncio pelo falecimento do poeta Herberto Hélder, do economista José Silva Lopes e de Judite Pinheiro Torres, a segunda mulher a exercer o cargo de vereadora da autarquia portuense com pelouro atribuído.


  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19