sicnot

Perfil

Cultura

Camané regressa ao Mosteiro da Batalha no dia 25 de abril

O fadista Camané atua no dia 25 de abril no Mosteiro da Batalha, num concerto onde vai cantar alguns dos temas mais relevantes da sua carreira, mas também do novo disco, a lançar em maio.

iac/www.camane.com

"Vou cantar alguns temas que penso serem os mais relevantes da minha carreira e também vou incluir neste espetáculo, pela primeira vez, ao vivo, um ou dois temas do meu novo álbum, que vai sair no dia 4 de maio", afirmou à agência Lusa Camané.

O fadista disse esperar que "seja uma noite memorável" num monumento onde atuou noutras ocasiões.

"Espero que seja uma noite fantástica como foi das outras vezes. O público é sempre ótimo", declarou.

Camané realçou ainda "uma série de contextos fantásticos" que se juntam no concerto, a realizar num monumento Património da Humanidade, onde se vai cantar fado, que integra a lista do Património Cultural Imaterial da Humanidade, e no dia 25, quando passam 41 anos sobre a Revolução de Abril.

O presidente da Câmara da Batalha, no distrito de Leiria, entidade organizadora do concerto, salientou igualmente esta "conjugação muito feliz", o espetáculo decorrer num monumento classificado pela UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, entidade que elevou o fado a Património Cultural Imaterial da Humanidade, que será cantado por uma das "suas vozes mais expressivas" e que tem temas "também associados à liberdade".

Paulo Batista dos Santos adiantou que, pela adesão já registada, com "50% dos bilhetes vendidos", espera ter "casa cheia".

O concerto decorre no Claustro do Mosteiro da Batalha, a partir das 21:30.

Este mês, Camané atua, ainda, no sábado, no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, Açores, e, no dia 24, na Praça do Município, no Funchal, Madeira, de acordo com a página oficial do fadista na Internet.

Lusa
  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.