sicnot

Perfil

Cultura

Três dias de Festa do Cinema em Maio com bilhetes a 2,5 euros

Perto de 500 salas de cinema participam nos dias 11, 12 e 13 de maio na I Festa do Cinema, cujo desafio é levar mais pessoas às salas do cinema em Portugal.

© Agencja Gazeta / Reuters

A afirmação é da presidente do Instituto do Cinema do Audiovisual (ICA), Filomena Serras Pereira, que hoje apresentou a iniciativa, em Lisboa. 

"Temos de levar mais espetadores ao cinema e esse é o grande desafio", disse.

Nos três dias da festa, os bilhetes custarão 2,50 euros, exceto para os filmes Imax, 3D e salas VIP. 

Nuno Sousa, em representaçäo dos exibidores de cinema, sublinhou tratar-se da primeira vez que exibidores e distribuidores em Portugal se associam para realizar a primeira Festa do Cinema.

"Este é apenas o arranque de uma iniciativa que vai abranger 499 salas de cinema, num total de 93.946 lugares, disponibilizando bilhetes a um preço muito competitivo", disse.

Por seu turno, Paulo Santos, em representação dos distribuidores, disse esperar que a iniciativa "devolva ao cinema o público que este já teve e que tem necessidade de voltar a ter".

"O que pretende é repor o hábito de ir ao cinema", acrescentou.

Questionado sobre se o preço dos bilhetes é um dos fatores que retira público das salas de cinema, Nuno Sousa disse não ser o único, admitindo porém que pode condicionar. 

A Festa do Cinema não pressupõe qualquer alteração à programação agendada para as salas.

O primeiro trimestre deste ano registou um aumento de 2,9 milhões de euros e cerca de 574.000 espectadores nas salas de cinema, comparando com o mesmo período de 2014, segundo o Instituto do Cinema e Audiovisual.

De acordo com as estatísticas do ICA, o aumento ultrapassa os vinte por cento tanto no número de espectadores como na receita de bilheteira, impulsionado pelos resultados obtidos no mês de fevereiro.

Lusa
  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.