sicnot

Perfil

Cultura

Adriano Moreira diz que língua portuguesa não é para "lidar com tratados" e "imposições"

O professor universitário Adriano Moreira defendeu hoje que a língua portuguesa "não é matéria para lidar com tratados" e "imposições", devendo sim ser encarada como "um objeto para manter sob grande observação, mas deixando fluir". 

Arquivo

"A língua não é um objeto para mexer com tratados. É um objeto para manter sob grande observação, para tratar com carinho, acompanhando as mudanças inevitáveis, mas deixando fluir o que é próprio do fenómeno cultural", argumentou.

O professor universitário e analista político falava à agência Lusa à margem da Conferência "Português, Língua Global", na Universidade de Évora, promovido pela Comissão Temática de Promoção e Difusão da Língua Portuguesa da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O encontro, que decorre ao longo de todo o dia, pretende contribuir para a sensibilização e mobilização de organizações da sociedade civil no desafio de afirmar e valorizar a língua portuguesa.

Na sua intervenção, Adriano Moreira lembrou que a língua portuguesa "não é neutra", pois, abrange "latitudes e culturas muito diferenciadas" e foi submetida "a um fenómeno natural" que passou por "cada região lhe ter acrescentado valores", os quais "não estão presentes nos outros sítios".

"O Brasil, por exemplo, tem valores que são ameríndios e africanos, mas também japoneses, alemães e italianos que nós [em Portugal] não temos", indicou, em declarações à Lusa.

Por isso mesmo, continuou, apesar de ter um tronco comum, a língua portuguesa "não é nossa", ou seja, de Portugal, devendo sim ser encarada como "também sendo nossa", isto é, de Portugal e de cada um dos países da CPLP.

Questionado sobre esta diversidade da língua portuguesa e acerca do Acordo Ortográfico, que ainda não tem aplicação obrigatória no Brasil (previsto para início de 2016), nem foi aplicado em Angola ou Moçambique, o analista criticou esta forma de uniformizar através de tratado.

"Esta matéria não é para lidar com tratados. Pode haver diretivas, mas imposições em relação à língua? A língua não se subordina a essas imposições", insistiu, frisando que esta situação só se vai ultrapassar "não cometendo o mesmo erro outra vez".

O secretário-executivo da CPLP, Murade Murargy, realçou à Lusa que a questão da língua "é um grande compromisso histórico" assumido pelos países da CPLP e reconheceu que, em relação ao Acordo Ortográfico, que "já está em vigor", vai "sempre haver" diversidade de opiniões.

O mesmo responsável, à margem da conferência, defendeu ainda que, para que a língua portuguesa seja "amplamente difundida", é preciso "passar dos discursos às ações concretas", ou seja, "é necessário um compromisso financeiro", com a afetação de recursos dos vários países, para alargar o ensino e a internacionalização do português.

Exemplo disso é a disponibilização do português como língua oficial nas Nações Unidas, frisou: "É preciso pagar", pelo que "tem de haver um engajamento político, com implicações financeiras, para que tal aconteça".

Lusa
  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.