sicnot

Perfil

Cultura

Museu do Chiado exibe tesouros da fotografia portuguesa do século XIX

Uma exposição que reúne, pela primeira vez, fotografias de coleções públicas e privadas da História da fotografia portuguesa, é inaugura no dia 29 de abril, no Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, em Lisboa.  

(museuartecontemporanea.pt) Emilio Biel, Ponte D. Luís. Tabuleiro central em construção, 1881-1886, Palácio Nacional da Ajuda

(museuartecontemporanea.pt) Emilio Biel, Ponte D. Luís. Tabuleiro central em construção, 1881-1886, Palácio Nacional da Ajuda

De acordo com o museu, a exposição, intitulada "Tesouros da Fotografia Portuguesa do Século XIX", com curadoria de Emília Tavares e Margarida Medeiros, abre ao público no dia 30 de abril e ficará patente até 28 de junho.

A mostra vai colocar em diálogo "acervos fotográficos de diversas instituições públicas que têm como missão a salvaguarda do património fotográfico nacional, realçando a necessidade e a premência de abordagens integradas no acesso, estudo e divulgação da fotografia portuguesa". 

Segundo um texto do museu sobre o projeto, grande parte das coleções de fotografia, reunidas nesta mostra, manteve-se inédita, até agora.

Além de revelar obras e autores ao público, o objetivo do projeto é fazer "um primeiro contributo para uma moderna historiografia da fotografia portuguesa".

Percorrendo o legado fotográfico produzido em Portugal, entre meados de 1840 e 1900, o projeto pretende "entender como se elaborou esta nova cultura visual no país, contribuindo para a compreensão de uma sociedade em profunda transformação", indica um texto das curadoras. 

A fotografia, no século XIX, "encontra-se numa encruzilhada entre indústria, ciência, comércio e arte, constituindo uma das marcas da entrada da cultura oitocentista na Modernidade e abalando profundamente as formas de representação artística e não artística", caracterizam.

A partir do lançamento público em França, em 1839, "a fotografia foi prontamente integrada no contexto científico, artístico e comercial da sociedade portuguesa de oitocentos, constituindo-se como um património valioso, que cruza diversas áreas do conhecimento e estabelece um retrato inovador da sociedade e da cultura", acrescentam Emília Tavares e Margarida Medeiros. 

Devido à vastidão do conjunto, o projeto foi desdobrado em duas exposições: a primeira será inaugurada no próximo dia 29, às 19:00, no Museu do Chiado, em Lisboa; a segunda ficará patente na Galeria Municipal Almeida Garrett, no Porto, de 30 de maio a 16 de agosto deste ano, em parceria com a Câmara Municipal.

Lusa
  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06