sicnot

Perfil

Cultura

Gulbenkian rescinde de imediato com Pinto Ribeiro por "quebra de confiança"

O conselho de administração da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) anunciou hoje que rescindiu, com efeito imediato, a ligação a António Pinto Ribeiro, que na semana passada se tinha demitido do cargo de coordenador geral da entidade. 

De acordo com um  comunicado da Fundação, a decisão tem efeitos imediatos por "quebra de confiança institucional" depois das declarações anteriores do programador cultural para se demitir do cargo.

Numa resposta enviada à agência Lusa na última semana, Pinto Ribeiro justificava aquele pedido de demissão com "atitudes autoritárias do presidente da FCG, [Artur Santos Silva]", que considerava "inapropriadas numa sociedade livre e democrática".

Na altura, a Gulbenkian reagiu, declarando que o programador se tinha demitido a seu pedido, e que a saída tinha sido aceite pelo conselho de administração da entidade.

Hoje, a Gulbenkian justifica, por seu turno, esta rescisão imediata da ligação do programador è entidade por entender que "o teor das declarações configura, para o conselho de administração, uma quebra de confiança institucional que inviabiliza o prosseguimento da relação como coordenador do Programa Gulbenkian Próximo Futuro".

A 24 de abril, Pinto Ribeiro indicou, sobre a sua demissão, que tinha solicitado a data de [15 de setembro] para concluir a edição deste ano do Programa Gulbenkian Próximo Futuro, que será a última. 

No início de fevereiro deste ano, a fundação tinha anunciado a nomeação de Pinto Ribeiro, 59 anos, com o objetivo de "conseguir uma crescente articulação entre todas as iniciativas" para os diferentes públicos.

Além de apontar as "atitudes autoritárias" de Artur Santos Silva, avançava ainda razões relacionadas com o cargo de coordenador geral da FCG para qual tinha sido convidado: "Tratava-se apenas de uma figura de retórica, porque, na verdade, a programação continuou a ser feita até meados de junho de 2017 sem que eu dela tivesse conhecimento (pelos diretores dos outros serviços e aprovada pelo membro da administração responsável)".

Ainda segundo Pinto Ribeiro, "a orientação programática [da FCG} para os próximos anos não é a programação adequada para os tempos e o mundo em que hoje vivemos".

António Pinto Ribeiro era desde 2004 consultor cultural da Gulbenkian, onde criou o Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística (2004-2008) e a partir de 2009 o Programa Gulbenkian Próximo Futuro, que, segundo a FCG, deverá terminar em 2016.

António Pinto Ribeiro, natural de Lisboa, tem formação académica nas áreas da Filosofia, Ciências da Comunicação e Estudos Culturais, nas quais tem desenvolvido trabalho de investigação e de produção teórica, que tem publicado em revistas da especialidade, tendo exercido as funções de diretor artístico da Culturgest, em Lisboa, desde a criação da instituição, em 1992, até abril de 2004.

 
Lusa

  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Número de vítimas mortais dos incêndios sobe para 45

    País

    Uma pessoa que estava internada no Hospital da Prelada, Porto, na sequência dos incêndios do dia 15 nas regiões Centro e Norte, morreu hoje, anunciou a unidade hospitalar, subindo assim para 45 o número de vítimas mortais daqueles fogos.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • Achado inédito encontrado na nau de Vasco da Gama naufragada em Omã

    Mundo

    Uma equipa de investigadores afirma ter encontrado, ao largo da costa de Omã, o mais antigo instrumento de navegação alguma vez descoberto. O achado arqueológico é um astrolábio e terá sido localizado no meio do que resta da nau Esmeralda, da frota de Vasco da Gama, naufragada no Oceano Índico em 1503.

    SIC

  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.