sicnot

Perfil

Cultura

Romance duplo de Gonçalo M. Tavares finalista do prémio europeu Jean-Monnet

O romance duplo "Um homem: Klaus Klump e A máquina de Joseph Walser", de Gonçalo M. Tavares, está entre os finalistas do Prémio Jean-Monnet de Literatura Europeia, anunciou a sua editora.

unknown

O livro "Um homem Klaus Klump e A máquina de Joseph Walser" foi editado em França, no ano passado, pela Viviane Hamy, e em Portugal, em 2008, pela Caminho, e é um dos oito finalistas do Prémio Jean-Monnet de Literatura Europeia.

A obra, intitulada em francês "Un homme: Klaus Klump et la machine de Joseph Walser", foi traduzida por Dominique Nédellec.

"Um homem Klaus Klump e A máquina de Joseph Walser" é, segundo a Editorial Caminho, que chancela a obra em Portugal, uma "nova versão, com um novo final, de dois romances passados no mesmo período e na mesma paisagem que, lidos em paralelo e em conjunto, dão espaço para uma diferente e complementar leitura".

Entre os finalistas do Prémio Jean-Monnet de Literatura Europeia estão também o greco-francês Vassilis Alexakis, com "La Clarinette", o espanhol Rafael Chirbes, com o título "Sur le rivage", a alemã Ursula Krechel, com "Terminus Allemagne", e o norueguês Kim Leine, com a obra "Les prophètes du fjord de l'Eternité".

Completam a lista de finalistas a ucraniana Maria Natios, com o romance "Daroussia la douce", o austríaco Christoph Ransmayr, com "Atlas d'un homme inquiet", e o holandês Tommy Wieringa, com o título "Voici les noms".

O vencedor vai ser conhecido em finais de junho e o galardão será entregue no dia 21 de novembro, no Centro de Congressos La Salamandre, em Cognac, no noroeste de França.

O português Gonçalo M. Tavares, de 44 anos, natural de Luanda, já foi distinguido, entre outros, com os prémios Portugal Telecom de Literatura (2007) e José Saramago (2005).

O autor recebeu o Prémio Branquinho da Fonseca/Gulbenkian-Expresso, pelo livro "O senhor Valéry" (2002), o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com "Investigações. Novalis" e o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores Camilo Castelo Branco", com "Água, cão, cavalo, cabeça" (2006). Em 2008 foi distinguido com o X Prémio Internacional Trieste, nordeste de Itália.

O romance "Jerusalém", distinguido com o LER/Millennium BCP em 2004, foi incluído na edição europeia de "1001 livros para ler antes de morrer -- um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos".

O romance "Uma viagem à Índia" (2010) valeu-lhe os prémios Fernando Namora/Estoril  Sol, Ler/Blogtailors Melhor Livro, Sociedade Portuguesa de Autores -Melhor Ficção Narrativa, e o Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores.

Lusa
  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.