sicnot

Perfil

Cultura

Romance duplo de Gonçalo M. Tavares finalista do prémio europeu Jean-Monnet

O romance duplo "Um homem: Klaus Klump e A máquina de Joseph Walser", de Gonçalo M. Tavares, está entre os finalistas do Prémio Jean-Monnet de Literatura Europeia, anunciou a sua editora.

unknown

O livro "Um homem Klaus Klump e A máquina de Joseph Walser" foi editado em França, no ano passado, pela Viviane Hamy, e em Portugal, em 2008, pela Caminho, e é um dos oito finalistas do Prémio Jean-Monnet de Literatura Europeia.

A obra, intitulada em francês "Un homme: Klaus Klump et la machine de Joseph Walser", foi traduzida por Dominique Nédellec.

"Um homem Klaus Klump e A máquina de Joseph Walser" é, segundo a Editorial Caminho, que chancela a obra em Portugal, uma "nova versão, com um novo final, de dois romances passados no mesmo período e na mesma paisagem que, lidos em paralelo e em conjunto, dão espaço para uma diferente e complementar leitura".

Entre os finalistas do Prémio Jean-Monnet de Literatura Europeia estão também o greco-francês Vassilis Alexakis, com "La Clarinette", o espanhol Rafael Chirbes, com o título "Sur le rivage", a alemã Ursula Krechel, com "Terminus Allemagne", e o norueguês Kim Leine, com a obra "Les prophètes du fjord de l'Eternité".

Completam a lista de finalistas a ucraniana Maria Natios, com o romance "Daroussia la douce", o austríaco Christoph Ransmayr, com "Atlas d'un homme inquiet", e o holandês Tommy Wieringa, com o título "Voici les noms".

O vencedor vai ser conhecido em finais de junho e o galardão será entregue no dia 21 de novembro, no Centro de Congressos La Salamandre, em Cognac, no noroeste de França.

O português Gonçalo M. Tavares, de 44 anos, natural de Luanda, já foi distinguido, entre outros, com os prémios Portugal Telecom de Literatura (2007) e José Saramago (2005).

O autor recebeu o Prémio Branquinho da Fonseca/Gulbenkian-Expresso, pelo livro "O senhor Valéry" (2002), o Prémio Revelação de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com "Investigações. Novalis" e o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores Camilo Castelo Branco", com "Água, cão, cavalo, cabeça" (2006). Em 2008 foi distinguido com o X Prémio Internacional Trieste, nordeste de Itália.

O romance "Jerusalém", distinguido com o LER/Millennium BCP em 2004, foi incluído na edição europeia de "1001 livros para ler antes de morrer -- um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos".

O romance "Uma viagem à Índia" (2010) valeu-lhe os prémios Fernando Namora/Estoril  Sol, Ler/Blogtailors Melhor Livro, Sociedade Portuguesa de Autores -Melhor Ficção Narrativa, e o Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores.

Lusa
  • Hoje é notícia 

    País

    O PSD leva a debate parlamentar a reprogramação do atual quadro comunitário, desafiando os partidos a pronunciarem-se sobre a proposta inicial do Governo, que considera "não servir o país". Os parceiros sociais e o Governo reúnem-se na Concertação Social para discutirem o Programa Nacional de Reformas. O Sporting de Braga procura alcançar o Sporting no 3º lugar da I Liga, ao defrontar o Marítimo na abertura da 31.ª jornada.

  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01

    País

    Dezassete anos depois, Lisboa vai ter as primeiras salas de consumo assistido, vulgarmente conhecidas como salas de chuto. O objetivo é apoiar os mais de 1400 toxicodependentes sinalizados e evitar a propagação de doenças.

  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC