sicnot

Perfil

Cultura

Joana Vasconcelos apresenta "Giardino dell'Eden" na Bienal de Veneza

A artista plástica Joana Vasconcelos apresenta a instalação "Giardino dell'Eden", na Bienal de Veneza, em Itália, que abre ao público no sábado.

© Hugo Correia / Reuters

A 56.ª Bienal de Arte de Veneza, que se realiza até 22 de novembro, tem como tema "All the world's futures" ("Todos os futuros do mundo", em tradução livre) e, como curador-geral, Okwui Enwezor. 

"Giardino dell'Eden", segundo comunicado do ateliê de Joana Vasconcelos, representa "um labiríntico Eden de flores artificiais e luz", e é apresentado num pavilhão insuflável.

"Em 'Giardino dell'Eden', luzes, motores síncronos e discos policromos em rotação criam uma ilusão de movimento no labirinto de flores artificiais, sugerindo, em conjunto com sons mecânicos, o zumbido de insetos ou o sopro leve do vento", explica a mesma fonte.

Durante a semana inaugural, "Giardino dell'Eden" tem "um habitante: inspirado pelos sons mecânicos do jardim, [o músico] Jonas Runa criou a performance eletrónica 'Synchronicity'", afirma o ateliê de Vasconcelos.

"Runa veste um fato eletroluminescente desenhado por Joana Vasconcelos e utiliza 'instrumentos invisíveis', sensores de deteção de movimento conectados a fontes de luz e som, para criar um jardim sonoro eletroacústico", explica a mesma fonte.

A participação de Joana Vasconcelos é feita a convite da relojeira Swatch. Segundo o ateliê da artista, a "instalação de Vasconcelos impõe-se como antítese da noção clássica de um jardim".

"Em oposição ao conceito de simulacro, a instalação revela, através deste inesperado 'low-tech' Eden, a artificialidade flagrante das flores e da luz que ilumina. 'Giardino dell'Eden' deve necessariamente ser apresentado de dia, num espaço privado interior".

A instalação, prossegue o ateliê de Vasconcelos, integra "o som mecânico de centenas de motores em funcionamento, engendrando uma sabotagem onírica dos mecanismos de hiper-realidade e simulação".

"'Giardino dell'Eden' representa um tesouro ideal, um cenário idílico, uma experiência misteriosa que nos leva a descobrir o universo da [relojoeira] Swatch", que convidou a artista.

Joana Vasconcelos, que foi a representante oficial portuguesa na Bienal de 2103 com o cacilheiro "Trafaria Praia", participou há 10 anos, pela primeira vez, nesta mostra internacional.

Lusa
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.