sicnot

Perfil

Cultura

Tema da guerra colonial marca novo filme de animação de José Miguel Ribeiro

O realizador José Miguel Ribeiro está a finalizar uma curta-metragem de animação, intitulada "Estilhaços", que aborda a guerra colonial e os efeitos do stress pós-traumático no seio familiar.

LUSA

Produzido pela Praça Filmes, em Montemor-o-Novo, o filme combina imagem real, desenho animado e "stop motion", uma mistura justificada pela narrativa do filme, centrada na relação entre um pai e um filho, como explicou o realizador à agência Lusa.

"Falar de memórias de guerra é ainda um incómodo, dá ideia de que se quer que a guerra fique lá atrás e, na verdade, ainda está muito presente, sobretudo nos casos de stress pós-traumático. E era sobre isso que queria falar, sobre a contaminação desse stress numa família", disse José Miguel Ribeiro.

Entre ficção e documentário, "Estilhaços" cruza duas perspetivas sobre a guerra. A do pai, que a viveu, e a do filho, que cresceu a construir uma memória da guerra a partir dos relatos do progenitor.

Essas duas visões de guerra são alimentadas por técnicas diferentes de animação e pelo recurso a imagem real, ajudando a situar as conversas entre pai e filho numa sala de estar, nos momentos em que narra a experiência de guerra e noutros em que a ação recua ao próprio cenário de conflito.

O título "Estilhaços" remete não só para os fragmentos de um qualquer engenho de guerra, mas também tem a ver com a ideia de contaminação, de uma doença contagiante dentro de uma família, referiu o realizador.

José Miguel Ribeiro, 49 anos, tem a sua própria história familiar relacionada com a guerra colonial, mas esta serviu apenas de ponto de partida para a pesquisa sobre o tema, sobre o stress de guerra e sobre os efeitos no relacionamento entre ex-militares e a família.

"Fiz cerca de três meses de pesquisas, com leituras, falando com várias pessoas, entre as quais uma psicóloga e a Associação de ex-Combatentes para saber mais sobre estas histórias de stress, ansiedade, depressão, agressividade", disse o realizador.

"Estamos a falar de homens, alguns muito jovens, que foram chamados para uma guerra que não queriam, não tinham opção de dizer que não, e essa guerra entrou na vida deles", lamentou José Miguel Ribeiro.

"Estilhaços", que está em fase de finalização, terá 15 minutos de duração, conta com apoio do Instituto do Cinema e Audiovisual e da autarquia de Montemor-o-Novo.

José Miguel Ribeiro está ligado ao cinema de animação há cerca de 20 anos, sendo realizador de filmes como "A suspeita" - que soma mais de vinte prémios -, "Passeio de domingo", "Dodu, o rapaz de cartão", "Papel de Natal" e a série "As coisas lá de casa". A estes junta-se ainda o registo mais documental e biográfico "Viagem a Cabo Verde".

Foi um dos fundadores da produtora Sardinha em Lata, da qual se desvinculou para fundar, em 2012, a produtora Praça Filmes, em Montemor-o-Novo.

Lusa
  • Quem deve ser o próximo treinador do FC Porto?

    Desporto

    Nuno Espírito Santo já não é treinador do FC Porto. O técnico e o clube chegaram a acordo mútuo para a rescisão do contrato, que o ligava por mais uma temporada aos dragões. Nuno Pinto da Costa tem agora que encontrar um novo treinador para orientar dos "dragões". Os nomes em cima da mesa são vários. Diga-nos quem deve ser o novo treinador do FC Porto.

  • Os treinadores do FC Porto desde o último título 

    Desporto

    Nunca o FC Porto esteve quatro anos consecutivos sem ganhar um título durante a presidência de Nuno Pinto da Costa. A ausência de vitórias teve início na época de 2013/14, quando começou uma autêntica dança de treinadores.

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Divulgado vídeo dos bambardeamentos contra o Daesh no Iraque
    0:42
  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.