sicnot

Perfil

Cultura

The Legendary Tiger Man inicia digressão em França com os Dead Combo

O músico português Paulo Furtado, The Legendary Tiger Man, inicia esta quarta-feira uma digressão em França, que o vai levar aos palcos de Saint-Etienne, Le Bleymard, Niort, Saint-Nazaire, Bordéus, Paris, Roubaix, Mulhouse, Saint-Quentin e Capdenac.

Francisco Seco

Os concertos arrancam em Saint-Etienne, na sala Le Fil, que vai apresentar os Dead Combo na mesma noite de quarta-feira. O duo português também vai acompanhar The Legendary Tiger Man nos concertos do Festival d'Olt, em Le Bleymard, na quinta-feira, e de Niort, na sexta-feira.

The Legendary Tiger Man continua na estrada para a promoção do sexto álbum de originais, "True", lançado em março do ano passado e apresentado dias depois em palcos franceses.

Paulo Furtado vai passar por Paris, a 20 de maio, para um concerto no espaço Petit Bain, com a digressão francesa a terminar a 24 de maio, no festival "L'Autre Festival", em Capdenac-Gare, no sul de França.

Há menos de uma semana, o músico esteve no México e tem programado para o mês de junho vários concertos em Espanha.

Paulo Furtado, vocalista e principal compositor dos WrayGunn, foi fundador da banda Tédio Boys, no final dos anos 1980, e lançou-se a solo em 2001 com o álbum "Naked Blues" (2001), ao qual se seguiram "Fuck Christmas, I got the blues" (2003), "In cold blood" (2004), "Masquerade" (2006) e "Femina" (2009). 

Lusa
  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.