sicnot

Perfil

Cultura

O cinema de Paulo Rocha regressa às salas de cinema

"Se eu fosse ladrão... roubava", o último filme do realizador Paulo Rocha, no qual recorda 50 anos dedicados ao cinema, chega hoje ao circuito comercial e a estreia é acompanhada por duas outras obras do cineasta, agora restauradas.

"Se eu fosse ladrão... roubava", imagem do último filme de Paulo Rocha.

"Se eu fosse ladrão... roubava", imagem do último filme de Paulo Rocha.

DR

Paulo Rocha, uma das referências da nova vaga do cinema português, a partir dos anos 1960, morreu em dezembro de 2012, numa altura em que finalizava a longa-metragem "Se eu fosse ladrão... roubava".

Com Luís Miguel Cintra, Isabel Ruth e Márcia Breia no elenco, o filme articula uma ficção baseada nas memórias da vida do pai de Paulo Rocha, com imagens que o realizador retirou de vários filmes seus, dando-lhes uma nova interpretação.

Em 2012, Paulo Rocha preparava ainda o restauro e digitalização dos seus dois primeiros filmes, "Os Verdes anos" (1963) e "Mudar de vida" (1966), sob a supervisão de Pedro Costa, tendo o processo sido concluído pela Cinemateca - instituição à qual o reaizador deixou, em testamento, toda a sua obra e património cinematográfico - e pela Midas Filmes.

Aqueles dois filmes regressam agora aos cinemas, acompanhando a estreia de "Se eu fosse ladrão... roubava", e são editados em DVD.

Paulo Rocha estudou Direito em Lisboa e Cinema em França, foi assistente de realização de Jean Renoir e de Manoel de Oliveira e assinou outras obras como "A Ilha dos Amores" (1982), "O Desejado" (1988), "O Rio do Ouro" (1998), "A Raiz do Coração" (2000) e "Vanitas" (2004).

Nasceu no Porto, em 1935, e morreu em Vila Nova de Gaia, em dezembro de 2012.


Lusa
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.