sicnot

Perfil

Cultura

Rui Veloso diz que aprendeu a gostar de "blues" com B.B King

O músico Rui Veloso afirmou-se hoje muito triste com a morte, ainda que esperada, de B.B. King, com quem, disse, aprendeu a gostar de "blues".

© Pablo Sanchez / Reuters

O músico norte-americano B.B. King, considerado o "rei dos blues" e que entrou para o "Rock and Roll Hall of Fame" em 1987, morreu na quinta-feira, em Las Vegas, EUA, aos 89 anos, revelou hoje o seu advogado.

Rui Veloso tocou seis vezes com B.B. King, quando de concertos do músico em Portugal, quatro vezes em 1990 (duas no Estoril e duas no Porto), uma em 1996, em Lisboa (Coliseu) e, depois, de novo em Lisboa em 1998 (Expo-98).

Admirador confesso de B.B. King, Rui Veloso lembrou à Lusa esses momentos e a grande alegria que teve quando o músico norte-americano lhe disse, em 1998, que o nome dele chegou a ser falado para tocar num disco que acabara de gravar.

"Nem nos meus sonhos passava tocar com o B.B.King, era uma coisa tão inatingível (...) como é que um 'gajo' da freguesia do Lordelo vai tocar com o B.B. King? Ninguém pensa nisso", disse à Lusa.

E sendo certo que o mundo da música ficou mais pobre, disse Rui Veloso que a música não tem fim e que, se B.B. King morreu, como Freddie ou Albert King morreram, "felizmente fica alguma coisa".

"Fica a obra, [ficam] os discos, fica o espírito que eles transmitiram e que me transmitiram a mim. Tenho a esperança de que eu passe um bocadinho, para que haja pessoas que tenham momentos de felicidade, como eu tive. Não a tocar com o B.B. King pessoalmente, que foi uma coisa incrível, mas aqueles momentos de intimidade, quando punha um disco do B.B. King e pegava na guitarra e tocava por cima da música", disse à Lusa.

E concluiu: "Foi assim que aprendi a gostar de blues. O B.B. King foi uma pessoa muito importante para mim, um músico muito importante".

Considerado um dos artistas mais influentes de todos os tempos, B.B. King ganhou 16 prémios 'Grammy' e gravou mais de 50 discos em quase 60 anos de carreira. Para a história ficam temas como "Three O'Clock Blues", "The Thrill Is Gone" e "When Love Comes to Town", em colaboração com os irlandeses U2. 







Lusa
  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.