sicnot

Perfil

Cultura

Trabalhadores em greve na noite e dia dos Museus

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) convocou uma greve nacional às horas extra, para hoje, Noite dos Museus, e para segunda-feira, Dia dos Museus.

© Jon Nazca / Reuters


Tal como aconteceu no dia dos Monumentos e Sítios, a 18 de abril, os sindicatos entregaram o pré-aviso de greve nacional ao trabalho prestado fora do período normal de trabalho e às horas extraordinárias.  

Entre hoje e segunda-feira, 18 de maio, estão previstas atividades para a Noite dos Museus e o Dia Internacional dos Museus, com iniciativas que vão desde visitas guiadas, leituras, oficinas e concertos, coordenadas pela Direção-Geral do Património Cultural.

Num comunicado divulgado esta semana, a Federação indicava que, nestas datas, celebradas anualmente, "a maioria dos trabalhadores chega a fazer 18 horas seguidas de trabalho, numa clara violação de todos os normativos legais, relativos à duração diária de trabalho, à laboração contínua e ao trabalho extraordinário".

Contactado pela agência Lusa sobre esta greve às horas extraordinárias dos funcionários dos museus, o diretor-geral do Património Cultural, Nuno Vassallo e Silva, estimou que o impacto seja "reduzido".

"Esperamos que a greve anunciada tenha consequências mínimas nas atividades. Todos estamos envolvidos nesta nossa missão de uma forma muito viva e ativa", acrescentou.

 

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15