sicnot

Perfil

Cultura

Trabalhadores em greve na noite e dia dos Museus

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) convocou uma greve nacional às horas extra, para hoje, Noite dos Museus, e para segunda-feira, Dia dos Museus.

© Jon Nazca / Reuters


Tal como aconteceu no dia dos Monumentos e Sítios, a 18 de abril, os sindicatos entregaram o pré-aviso de greve nacional ao trabalho prestado fora do período normal de trabalho e às horas extraordinárias.  

Entre hoje e segunda-feira, 18 de maio, estão previstas atividades para a Noite dos Museus e o Dia Internacional dos Museus, com iniciativas que vão desde visitas guiadas, leituras, oficinas e concertos, coordenadas pela Direção-Geral do Património Cultural.

Num comunicado divulgado esta semana, a Federação indicava que, nestas datas, celebradas anualmente, "a maioria dos trabalhadores chega a fazer 18 horas seguidas de trabalho, numa clara violação de todos os normativos legais, relativos à duração diária de trabalho, à laboração contínua e ao trabalho extraordinário".

Contactado pela agência Lusa sobre esta greve às horas extraordinárias dos funcionários dos museus, o diretor-geral do Património Cultural, Nuno Vassallo e Silva, estimou que o impacto seja "reduzido".

"Esperamos que a greve anunciada tenha consequências mínimas nas atividades. Todos estamos envolvidos nesta nossa missão de uma forma muito viva e ativa", acrescentou.

 

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Viver em Évora
    5:11
  • Ano letivo "de uma maneira geral começou bem"

    País

    O Presidente da República considerou esta sexta-feira que o ano letivo "de uma maneira geral começou bem" e defendeu a possibilidade serem feitas "correções" a situações "injustas ou discutíveis" entre os concursos que se realizam de quatro em quatro anos.