sicnot

Perfil

Cultura

Historiador diz ter descoberto único retrato de Shakespeare feito em vida

Um historiador de Botânica britânico afirmou esta terça-feira ter descoberto o único retrato conhecido feito em vida do mais célebre dos dramaturgos ingleses, William Shakespeare (1564-1616), uma tese recebida com ceticismo por alguns especialistas.

Mark Griffiths sustenta ter encontrado o retrato na gravura que ornamenta a capa da primeira edição de um famoso livro de Botânica do século XVI, "The Herbal", uma obra com 1484 páginas do botânico John Gerard (1545-1612). (Arquivo)

Mark Griffiths sustenta ter encontrado o retrato na gravura que ornamenta a capa da primeira edição de um famoso livro de Botânica do século XVI, "The Herbal", uma obra com 1484 páginas do botânico John Gerard (1545-1612). (Arquivo)

© Toby Melville / Reuters

Mark Griffiths sustenta ter encontrado o retrato na gravura que ornamenta a capa da primeira edição de um famoso livro de Botânica do século XVI, "The Herbal", uma obra com 1484 páginas do botânico John Gerard (1545-1612).

"É a primeira vez que temos um retrato identificado como sendo [o de Shakespeare] e feito durante a sua vida. Os únicos dois outros retratos autênticos de Shakespeare são póstumos", explicou à agência de notícias francesa, AFP, Mark Hedges, chefe de redação da revista Country Life, na qual o artigo de Griffiths será publicado na quarta-feira.

"É William Shakespeare, com 33 anos, no apogeu da sua carreira", acrescentou Hedges, descrevendo-o como um "jovem incrivelmente belo".

A aparência jovem patente nesta estampa contrasta com os retratos até agora conhecidos dele, em que é mais velho.

A gravura tem quatro figuras principais nos quatro cantos, anteriormente consideradas imaginárias mas agora identificadas como pessoas reais por Griffiths, graças aos motivos florais que as rodeiam e a diversos códigos e charadas de que os contemporâneos da rainha Elizabeth I gostavam.

O historiador botânico afirmou ter identificado William Shakespeare graças à sua indumentária de poeta, à fritilária que ele segura (uma flor intimamente ligada, segundo o investigador, ao poema de sua autoria "Vénus e Adónis"), bem como uma charada que, uma vez descodificada, ostenta o nome do eminente dramaturgo.

As outras figuras foram identificadas como sendo o autor do livro, o célebre botânico flamengo Rembert Dodoens e o tesoureiro da rainha, Lord Burghley.

"Estou profundamente cético. Não vi os argumentos em pormenor, mas a Country Life não é, com certeza, a primeira publicação a fazer este tipo de afirmação", observou Michael Dobson, diretor do Instituto Shakespeare na Universidade de Birmingham. Outros especialistas manifestaram também dúvidas. 

Griffiths defende-se, dizendo: "Fiz esta descoberta pela primeira vez há cinco anos e tentei incessantemente refutá-la desde então. O mesmo fez uma equipa de especialistas vindos de universidades como Oxford ou Heidelberg".

"Tudo o que afirmo assenta em provas documentais, históricas e científicas", garante, frisando que tem uma dupla competência, em Botânica e Literatura Inglesa.
Lusa
  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28