sicnot

Perfil

Cultura

Camané apresenta o mais recente álbum em setembro na Culturgest

O fadista Camané apresenta o seu mais recente álbum, "Infinito presente", em dois espetáculos na Culturgest, em Lisboa, nos dias 24 e 25 de setembro, anunciou hoje esta sala.

O fadista Camané será um dos convidados da mostra.

O fadista Camané será um dos convidados da mostra.

No palco lisboeta o fadista, que irá interpretar temas como "Chega-se a este ponto", e "Paraíso", ambos de David Mourão-Ferreira e José Mário Branco, é acompanhado por José Manuel Neto, na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença, na viola e Paulo Paz no contrabaixo.

O novo álbum de Camané, "Infinito presente", foi editado no dia 04 de maio, e inclui um inédito de Alain Oulman, "A Correr", e duas composições de José Júlio Paiva, bisavô do fadista.

"Infinito presente" marcou o regresso do fadista aos estúdios, depois de cinco anos ausente, desde "Do amor e dos dias", editado em setembro de 2010. Pelo meio, foi publicada, em 2013, a antologia "O Melhor de Camané 1995-2013".

Camané abriu, no início deste mês, I Festival de Fado de Bogotá, e na próxima terça-feira com este mesmo trio de instrumentistas atua nas Festas de Oeiras, no palco instalado no largo da igreja matriz, e no dia 17 na 14.ª Grande Gala de Fado Carlos Zel, no Casino Estoril, nos arredores de Lisboa.

O "título-tema" do álbum, "Infinito presente", é um poema de David Mourão-Ferreira, cujo título original é "Corpo Iluminado, XII"; este é um poeta de referência do fadista, de quem, entre outros, já gravou "Escada sem corrimão".

Machado de Assis, Frei António Chagas, João Ferreira-Rosa, Manuel Alegre, Fernando Pessoa e Manuela de Freitas são outros autores escolhidos pelo fadista.

Manuela de Freitas, de quem o fadista tem gravado regularmente - cite-se "Ela tinha uma amiga", "Guerra das rosas" e "Fado Sagitário" -, é autora de oito dos 17 temas gravados pelo intérprete, que já recebeu três Prémios Amália.

Vitorino, que também já colaborou com Camané, assina a letra e música de "Medalha da Senhora das Dores".

Quanto às composições, além das assinadas por José Mário Branco (cinco) e a de Vitorino, Camané gravou melodias tradicionais como os fados Cravo, Freira, Pintadinho, Bizarro, Santa Luzia e Mouraria.

A duas composições de José Júlio Paiva são o "Fado complementar" para um poema do frade seiscentista António Chagas, "Conta e tempo" e o "Fado espanhol" para um poema de Fernando Pessoa, "Aqui está-se sossegado". O autor de "Mensagem", incluindo os seus heterónimos, é outro poeta regular nos álbuns de Camané.








Lusa
  • As camisolas de Natal da família real britânica

    Mundo

    O espírito natalício invadiu ontem o Museu Madame Tussauds, em Londres. Foram reveladas as novas figuras de cera da família real britânica - cada membro enverga uma camisola de espírito festivo, com cãezinhos "reais" e "gingerbreadmen" de gosto duvidoso.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54