sicnot

Perfil

Cultura

Elisabete Matos recebe hoje Medalha de Mérito Cultural

A cantora lírica Elisabete Matos recebe hoje, às 12:00, a Medalha de Mérito Cultural, no Teatro Nacional de S. Carlos (TNSC), em Lisboa, numa cerimónia que conta com a presença do primeiro-ministro e do secretário de Estado da Cultura.

Cantora lírica portuguesa, Elisabete Matos, recebe medalha de Mérito Cultural

Cantora lírica portuguesa, Elisabete Matos, recebe medalha de Mérito Cultural

MICHEL VIALA

Num comunicado divulgado no final da semana passada, o TNSC afirmava que a distinção sublinha a "brilhante carreira internacional que (a artista) tem desenvolvido".

O anúncio desta decisão do Governo foi feita em julho do ano passado, no decorrer do VI Festival ao Largo, por ocasião do concerto de homenagem à soprano natural de Caldas das Taipas, em Guimarães.

A cantora lírica já foi condecorada pelo Presidente da República com o grau de Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, em 1999, e em 2013 com o grau de Grande Oficial da mesma ordem honorífica. Em 2003, Elisabete Matos recebeu a Medalha de Mérito Artístico da cidade de Guimarães.

Em fevereiro passado, Elisabete Matos interpretou no palco do São Carlos o papel de "Lady Macbeth", na ópera "Macbeth", de Giuseppe Verdi.

Em comunicado, o TNSC afirma que a interpretação desta personagem "representa a mais recente colaboração [de Elisabete Matos] com o teatro lírico português, com o qual tem uma relação forte e estreita, repleta de apresentações em óperas e concertos, dos quais se destaca o recital comemorativo dos seus 25 anos de carreira, em 12 de janeiro de 2013". 

A cantora lírica que já contracenou com nomes como Plácido Domingo e José Carreras, apresentou-se recentemente em Toulouse, no sudoeste de França, em Berlim e Telavive, respetivamente, como "Isolda", em "Tristão e Isolda", de Richard Wagner, "Turandot", na ópera homónima de Giacomo Puccini, e "Abigaille", em "Nabucco", de Verdi.

Elisabete Matos estudou canto e violino no Conservatório de Música de Braga e prosseguiu os estudos de Canto em Espanha, como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo trabalhado com Ángeles Chamorro, Marimi del Pozo, Félix Lavilla e Miguel Zanetti na Escola Superior de Canto de Madrid. A sua estreia foi no Coliseu do Porto, no papel de "Frasquita", na ópera "Carmen", de Georges Bizet.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31