sicnot

Perfil

Cultura

"As mil e uma noites", de Miguel Gomes, em competição no Festival de Cinema de Sidney

Os filmes "O inquieto", "O desolado" e "O encantado", que compõem "As mil e uma noites", de Miguel Gomes, fazem parte da competição do Festival de Cinema de Sidney, que encerra hoje, na cidade australiana.

O Som e a Fúria

Com seis horas de duração, a trilogia foi, desde o início, um dos destaques da organização para a 62.ª edição do festival, referindo-se ao projeto de Miguel Gomes como "ambicioso, indignado e com um humor desconcertante", um "novo filme extraordinário" que "cria um retrato preciso do Portugal recente".

O tríptico, que teve antestreia mundial, em maio, no Festival de Cannes,  mereceu o aplauso da imprensa especializada presente em Cannes, que o considerou "um épico" (Libération, Le Monde) e "um dos mais memoráveis" filmes no certame (Indywire), multiplicando-se as opiniões positivas pela Variety, a Hollywood Reporter, a Première ou a Sight & Sound, do British Film Institute.

Recorrendo a reportagens feitas pelas jornalistas Maria José Oliveira, Rita Ferreira e João de Almeida Dias, Miguel Gomes traça a história de um país mergulhado numa crise económica, em austeridade e desemprego, misturando a fantasia dos contos populares árabes de "As mil e uma noites", narrados pela rainha persa Sherazade.

Os três volumes - são assim designados pela produtora - terão estreia nos cinemas portugueses a partir de outubro. O primeiro dos três filmes, "O inquieto", deverá ser estreado em França a 24 de junho, segundo a Première.

Em Sidney, os filmes foram exibidos no sábado, 13 de junho, e hoje, na reta final do festival australiano. O vencedor da competição internacional receberá um prémio de 53.000 euros.

Rodado em película, "As mil e uma noites" é uma coprodução entre Portugal, França e Alemanha, com um orçamento de 2,7 milhões de euros.

A atriz Crista Alfaiate interpreta o papel de Xerazade e do elenco, que inclui atores profissionais e amadores, fazem parte Adriano Luz, Carloto Cotta, Gonçalo Waddington, Joana de Verona, Rogério Samora, Margarida Carpinteiro e Cristina Carvalhal, entre outros.

Miguel Gomes concretiza "As mil e uma noites" três anos depois de ter sido distinguido no Festival de Cinema de Berlim com os prémios da Inovação e da Crítica pelo filme "Tabu".

Depois disso estreou, no Festival de Veneza, em 2013, a curta-metragem "Redemption", inspirada em personagens da atualidade - os políticos Pedro Passos Coelho, Angela Merkel, Nicolas Sarkozy e Sílvio Berlusconi. 

Nascido em Lisboa, em 1972, Miguel Gomes é autor de várias curtas-metragens e das longas-metragens "A cara que mereces" (2004) e "Aquele querido mês de agosto" (2008).

Lusa
  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.