sicnot

Perfil

Cultura

"Guerra das Estrelas" nos cinemas chineses pela primeira vez

A China vai exibir "A Guerra das Estrelas" pela primeira nos seus cinemas quatro décadas após a saga cinematográfica se ter tornado um sucesso mundial, divulgou hoje a agência noticiosa francesa, AFP.

© Luke MacGregor / Reuters

O Shangai Internacional Film Festival vai mostrar o conjunto dos seis filmes da série "Guerra das Estrelas" pela primeira vez esta semana, com exibições nos principais cinemas chineses, disseram os organizadores do festival.

Em 1977, enquanto as audiências ocidentais seguiam as aventuras de Luke Skywalker, Han Solo e Princesa Leia "há imenso tempo atrás numa galáxia longínqua", a China acabava de sair de uma caótica revolução cultural e confrontava-se com a necessidade de fazer reformas económicas que iriam transformar o país sob regulação comunista.     

As lotações esgotaram completamente num dos cinemas que exibiu o primeiro filme da série.

Entre as diversas estratégias preparadas para receber os fãs, como a música do filme a ser tocada na sala de receção à medida que estes entravam no cinema, sobressaía ainda um homem que vestia uma camisola de C-3PO -- o robô tradutor dourado -, e uma mulher que numa blusa preta ostentava os soldados de branco, fiéis ao Império.  

O assistente de vendas, Joy Han, meteu um dia de folga para ver o filme, apesar de já ter visto todos os seis episódios através da Internet.

"É muito melhor visto no grande ecrã", disse à AFP Joy Han, "isto é uma primeira vez para a China", acrescentou.

Alguns membros da audiência referiram que estavam mais familiarizados com a nova «prequela» - o contrário de sequela -, dos filmes "A Ameaça Fantasma", "O Ataque dos Clones" e "A Vingança dos Sith", do que com os três primeiros filmes: "A Guerra das Estrelas", "O Império Contra-Ataca" e "O Regresso de Jedi".


Lusa


  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.