sicnot

Perfil

Cultura

Novo álbum de Mariza "Mundo" é editado "depois do verão"

A fadista Mariza vai editar o novo álbum, "Mundo", "depois do verão", do qual fará as primeiras apresentações em novembro, no Coliseu do Porto, divulgou hoje a promotora espanhola Syntorama.

© Juan Medina / Reuters

Segundo a mesma fonte, a intérprete, distinguida com vários prémios internacionais, apresenta o novo álbum nos dias 26 e 27 de novembro, no Coliseu do Porto, e no dia 07 de dezembro, na Meo Arena, em Lisboa.

"Mundo" marca "o esperado regresso da mais internacional das artistas portuguesas" ao mercado discográfico, cinco anos depois do álbum de originais "Fado tradicional", afirma a Syntorama.

A criadora de "Ó gente da minha terra" (Amália Rodrigues/Tiago Machado) publicou, entretanto, o duplo álbum "Best of", no qual incluiu a recriação de "É ou não é" (Alberto Janes), do repertório de Amália Rodrigues, e de "Smile" (Charles Chaplin), de Nat King Cole, e gravou o inédito "O tempo não pára", de Miguel Gameiro.

Do "Best of" fazem parte temas criados por Mariza como "Há uma música do povo", "Recusa", "Feira de castro" e "Há palavras que nos beijam", a par de temas do repertório "amaliano", entre os quais "Maria Lisboa", "Primavera", "Medo" e "Oiça lá, ó senhor vinho", e inclui ainda "Menino do bairro negro", de José Afonso, que Mariza gravou no seu CD de estreia, "Fado em mim", e os fados "Loucura" e "Promete jura".

Este é o sexto álbum de estúdio da criadora de "Caravelas" (Florbela Espanca/Tiago Machado), que, desde o início da carreira, já vendeu mais de um milhão de discos, em 35 países, segundo dados da mesma fonte.

Até à apresentação do novo álbum ao vivo, a fadista tem uma agenda de espetáculos que inclui Vila Nova de Gaia, no próximo dia 23, Paris, no dia 26, Rudolstadt, na Alemanha, no dia 04 de julho, seguindo-se Estugarda e Friburgo. No dia 29 de julho regressa a Portugal, para atuar em Cantanhede.







Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.