sicnot

Perfil

Cultura

ASAE detém cinco pessoas por venda ilegal de bilhetes para festival de música

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou hoje a detenção, na região Centro, de cinco pessoas por venda ilegal, na internet, de seis bilhetes para o festival NOS Alive 2015, a cerca de 250 euros cada.

Os bilhetes têm um valor comercial unitário de 55 euros e estavam a ser vendidos a cerca de 250 euros.

Os bilhetes têm um valor comercial unitário de 55 euros e estavam a ser vendidos a cerca de 250 euros.

NOS Alive

Em comunicado, a ASAE precisa que a Unidade Regional do Centro instaurou cinco processos-crime, por prática de crime de especulação na forma tentada, na venda de bilhetes online. 

Os bilhetes têm um valor comercial unitário de 55 euros e estavam a ser vendidos a cerca de 250 euros.

A ASAE adianta que, "no âmbito das suas competências como autoridade nacional de fiscalização do mercado, tem vindo a realizar várias ações de investigação/fiscalização da venda online de bilhetes para o festival - NOS ALIVE 2015", que decorre de 9 a 11 de julho, no Passeio Marítimo de Algés, em Lisboa.
Lusa
  • Preso suspeito por venda ilegal de bilhetes do Mundial
    1:27

    Mundial 2014

    A polícia do Rio de Janeiro deteve mais uma pessoa por venda ilegal de bilhetes para o Mundial. Trata-se do diretor de uma empresa parceira da FIFA que detém os direitos exclusivos dos camarotes VIP. Suspeito de liderar um esquema de venda ilegal de bilhetes para o Mundial de futebol, o diretor executivo da empresa Match Hospitality foi detido no hotel Copacabana Palace, onde regressou de madrugada, na sequência de um pedido de habeas corpus dos advogados. O britânico Raymond Whelan dirige a única representante autorizada pela FIFA a vender camarotes e pacotes VIP para jogos no Mundial.

  • Fuzileiros continuam no terreno a ajudar população
    3:03
  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44
  • Desacatos no aeroporto de Faro deixam turistas britânicos em terra
    1:46

    País

    Cinco pessoas, que integravam o grupo de turistas britânicos que nos últimos dias causou desacatos em Albufeira, foram ontem impedidas de regressar a Inglaterra. Agressões no aeroporto e desacatos à entrada do avião levaram os comandantes de dois voos a recusar levar aqueles passageiros.