sicnot

Perfil

Cultura

Documentários do Brasil em três dias de cinema ao ar livre em Lisboa

Sete documentários do Brasil serão exibidos na próxima semana, no ciclo "Doc no Rio", que decorrerá ao ar livre na Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa, organizado pelo festival DocLisboa.

Francisco Seco

Da sala de cinema para a rua, o ciclo apresenta, de 26 a 28 de junho, documentários brasileiros feitos ao longo da última década e grande parte deles são inéditos em Portugal. 

O ciclo abrirá com a curta-metragem "Vinil Verde" (2004), adaptação de uma fábula russa por Kleber Mendonça Filho, que recorre a uma montagem sequencial de fotografias.

Ainda no dia 26 serão estreadas a curta-metragem "Da janela do meu quarto" (2004), de Cao Guimarães, e a longa "Elena" (2012), de Petra Costa, inspirada na história da irmã, a atriz Elena Andrade, que se suicidou em 1990.

No dia seguinte, o ciclo recebe a primeira curta-metragem da realizadora Juliana Rojas, "Lençol branco" (2003), feito em parceria com Marco Dutra, e a longa-metragem "Sinfonia de Necrópole" (2014), da mesma realizadora, sobre o trabalho de um coveiro num cemitério em São Paulo.

De André Novais Oliveira, realizador que tem tido obra selecionada para festivais portugueses, será exibida a curta "Fantasma", no dia 28, seguindo-se "A cidade é uma só?" (2011), de Adirley Queirós, sobre a destruição de bairros degradados em torno de Brasília, na década de 1970.

Neste "Doc no Rio", os filmes serão exibidos a partir das 21:30. A entrada é livre e o espaço tem capacidade para 800 pessoas.

Lusa
  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.