sicnot

Perfil

Cultura

Carlos do Carmo vai receber a mais alta distinção de Paris

O fadista Carlos do Carmo vai receber a "Grande Médaille de Vermeil" da cidade de Paris, "a mais alta distinção em termos de medalhas da Câmara", disse à Lusa Hermano Sanches Ruivo, vereador da Câmara de Paris.

Carlos Manuel de Ascenção do Carmo de Almeida, mais conhecido como Carlos do Carmo, nasceu em Lisboa, em 1939.

Carlos Manuel de Ascenção do Carmo de Almeida, mais conhecido como Carlos do Carmo, nasceu em Lisboa, em 1939.

Chris Pizzello

A condecoração vai ser atribuída numa cerimónia na próxima sexta-feira, no Hôtel de Ville de Paris, horas antes do início do festival de música lusófona FOLISBOA, que decorre de 26 a 28 de junho na capital francesa e no qual Carlos do Carmo vai atuar no último dia.

"É a mais alta distinção em termos de medalhas da Câmara [Municipal de Paris]. O Carlos do Carmo é, de facto, um parisiense. Para ele a cidade do coração é Lisboa - não fosse ele essa imagem, essa voz e esse rosto de Lisboa - mas ele admite que Paris é a segunda cidade, a cidade de dezenas de viagens e de centenas de encontros. Ele tem realmente um amor a esta cidade. Eu penso que ele conhece melhor Paris do que muitos de nós que vivemos cá", explicou Hermano Sanches Ruivo. 

Contactado pela Lusa, por telefone, Carlos do Carmo disse ter recebido a notícia com "muita felicidade e muita surpresa", lembrando que já vai a Paris desde 1967 e que a cidade se tornou "indispensável" como uma "respiração".

"A minha mulher e eu adoramos Paris. Lisboa é a nossa cidade, obviamente, é a cidade do coração, é a minha cidade que eu canto a vida inteira. Mas, curiosamente, a cidade que nós mais gostamos fora de Portugal é Paris. É uma sensação maravilhosa", afirmou.

Hermano Sanches Ruivo sublinhou que "Paris é uma cidade também do fado" graças aos portugueses que trouxeram esta música "nas malas", lembrando que a Câmara de Paris apoiou a candidatura do Fado a Património Imaterial da UNESCO e que "o fado está a ser descoberto ou redescoberto em França".

"Bastam os 50 anos [de carreira], basta esse novo concerto aqui em Paris e basta essa ligação ao fado do qual ele é, sem dúvida nenhuma, um dos rostos, uma das vozes, uma das almas. Fica bem a uma cidade de cultura, a uma cidade internacional que abrigou - por várias razões e há muito tempo - esses portugueses, fazer do Carlos do Carmo, um dos cidadãos [de Paris]", justificou o vereador franco-português, quando questionado sobre as razões da atribuição do galardão ao fadista.

Para a coordenadora geral e artística do festival FOLISBOA, Chloé Siganos, "é uma honra não só o facto de França condecorar Carlos do Carmo mas também o facto de honrar toda a cultura portuguesa e lusófona por este meio".

A "Grande Médaille de Vermeil" já foi atribuída ao cineasta português Manoel de Oliveira, em 2001, à cantora Mísia, em 2004, e a Mário Soares, em 2013. 

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, vai estar presente na cerimónia de atribuição da medalha ao fadista.

Lusa
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.