sicnot

Perfil

Cultura

Duas obras de Paula Rego com estimativa de 1,5 M€ vão a leilão em Londres

Duas obras da pintora portuguesa Paula Rego, com uma base de licitação mínima global superior a 1,5 milhões de euros, vão ser leiloadas na quarta-feira, em Londres, pela Sotheby´s, anunciou hoje a leiloeira.

Paula Rego

Paula Rego

AP

As obras intitulam-se "The Cadet and his Sister" (1988), um acrílico em papel sobre tela, com uma estimativa entre 835 mil euros e 1,1 milhões de euros, e "Looking Out" (1997), um pastel sobre papel em suporte de alumínio, com estimativa entre 695 mil euros e 975 mil euros.

"The Cadet and his Sister" aborda o tema da despedida, mostrando um cadete vestido com o uniforme do Colégio Militar, com a irmã, de partida para o serviço militar, enquanto ela se ajoelha e ata os sapatos. 

O tema da despedida remete para um importante acontecimento na vida pessoal da pintora portuguesa, porque em 1988 faleceu o marido de Paula Rego, também artista, Victor Willing.

A leiloeira sublinha que foi igualmente um ano importante na carreira de Paula Rego, quando passou a ser representada pela galeria Marlborough Fine Art, em Londres, tendo sido alvo de uma grande retrospetiva do seu trabalho, pela Serpentine Gallery, na capital britânica.

"Looking Out", criada por Paula Rego em 1997, faz parte de uma série de trabalhos da pintora inspirados no livro "O Crime do Padre Amaro", de Eça de Queirós, que conta a história de um jovem padre que mantém uma relação amorosa clandestina com uma empregada, Amélia.

Amélia engravida e é banida da comunidade, passando a viver no campo, onde vem a falecer durante o parto, tal como a criança.

Esta tela - emblemática de toda a obra de Paula Rego em que denuncia a condição feminina - retrata Amélia, sozinha, debruçada na janela de uma casa, dando uma imagem de frustração e aprisionamento, enquanto espera o dia do parto.

Em março deste ano, foi arrematada por 180 mil euros, num leilão, em Lisboa, a obra "Pioneiros", um acrílico em papel sobre tela criado em 1982, e em Londres, no mesmo mês, foram vendidas meia centena de gravuras representativas de 30 anos de trabalho da artista, num leilão 'online', que ficou abaixo das estimativas iniciais.

A pintora portuguesa, que completou 80 anos em janeiro deste ano, começou a desenhar ainda criança e partiu para a capital britânica com apenas 17 anos, para estudar na Slade School of Fine Art.

Em Londres conheceu o futuro marido, o artista inglês Victor Willing, falecido em 1988, cuja obra Paula Rego já mostrou por várias vezes no museu Casa das Histórias, em Cascais, detentora de um importante acervo da artista.

Na pintura de Paula Rego surgem muitas imagens típicas da infância, por vezes fetichistas e até traumáticas, relacionadas com a violência, e os animais são regulares protagonistas da sua linguagem pictórica.

Nas últimas décadas, a pintora tem abordado temas políticos, como o abuso de poder, e sociais, como o aborto, entre outros do universo feminino.

Paula Rego foi distinguida em 2010 pela rainha Isabel II com o grau de Oficial da Ordem do Império Britânico, pela sua contribuição para as artes.



Lusa
  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.