sicnot

Perfil

Cultura

Duas obras de Paula Rego com estimativa de 1,5 M€ vão a leilão em Londres

Duas obras da pintora portuguesa Paula Rego, com uma base de licitação mínima global superior a 1,5 milhões de euros, vão ser leiloadas na quarta-feira, em Londres, pela Sotheby´s, anunciou hoje a leiloeira.

Paula Rego

Paula Rego

AP

As obras intitulam-se "The Cadet and his Sister" (1988), um acrílico em papel sobre tela, com uma estimativa entre 835 mil euros e 1,1 milhões de euros, e "Looking Out" (1997), um pastel sobre papel em suporte de alumínio, com estimativa entre 695 mil euros e 975 mil euros.

"The Cadet and his Sister" aborda o tema da despedida, mostrando um cadete vestido com o uniforme do Colégio Militar, com a irmã, de partida para o serviço militar, enquanto ela se ajoelha e ata os sapatos. 

O tema da despedida remete para um importante acontecimento na vida pessoal da pintora portuguesa, porque em 1988 faleceu o marido de Paula Rego, também artista, Victor Willing.

A leiloeira sublinha que foi igualmente um ano importante na carreira de Paula Rego, quando passou a ser representada pela galeria Marlborough Fine Art, em Londres, tendo sido alvo de uma grande retrospetiva do seu trabalho, pela Serpentine Gallery, na capital britânica.

"Looking Out", criada por Paula Rego em 1997, faz parte de uma série de trabalhos da pintora inspirados no livro "O Crime do Padre Amaro", de Eça de Queirós, que conta a história de um jovem padre que mantém uma relação amorosa clandestina com uma empregada, Amélia.

Amélia engravida e é banida da comunidade, passando a viver no campo, onde vem a falecer durante o parto, tal como a criança.

Esta tela - emblemática de toda a obra de Paula Rego em que denuncia a condição feminina - retrata Amélia, sozinha, debruçada na janela de uma casa, dando uma imagem de frustração e aprisionamento, enquanto espera o dia do parto.

Em março deste ano, foi arrematada por 180 mil euros, num leilão, em Lisboa, a obra "Pioneiros", um acrílico em papel sobre tela criado em 1982, e em Londres, no mesmo mês, foram vendidas meia centena de gravuras representativas de 30 anos de trabalho da artista, num leilão 'online', que ficou abaixo das estimativas iniciais.

A pintora portuguesa, que completou 80 anos em janeiro deste ano, começou a desenhar ainda criança e partiu para a capital britânica com apenas 17 anos, para estudar na Slade School of Fine Art.

Em Londres conheceu o futuro marido, o artista inglês Victor Willing, falecido em 1988, cuja obra Paula Rego já mostrou por várias vezes no museu Casa das Histórias, em Cascais, detentora de um importante acervo da artista.

Na pintura de Paula Rego surgem muitas imagens típicas da infância, por vezes fetichistas e até traumáticas, relacionadas com a violência, e os animais são regulares protagonistas da sua linguagem pictórica.

Nas últimas décadas, a pintora tem abordado temas políticos, como o abuso de poder, e sociais, como o aborto, entre outros do universo feminino.

Paula Rego foi distinguida em 2010 pela rainha Isabel II com o grau de Oficial da Ordem do Império Britânico, pela sua contribuição para as artes.



Lusa
  • "A banca parece que não aprendeu nada com a bolha imobiliária de 2008"
    3:23

    Opinião

    O Governo quer limitar a venda de produtos financeiros pelos bancos. Está no parlamento uma proposta de lei que penaliza as más práticas comerciais e tenta proteger os clientes, evitando abusos e encargos excessivos e obrigando os bancos a prestarem-lhes mais informação. A proposta prevê ainda que seja dada mais formação aos funcionários. Miguel Sousa Tavares considera a decisão do Governo acertada uma vez que protege os interesses dos clientes. O comentador da SIC faz ainda referência ao ano 2008, início da crise no ramo imobiliário por "culpa dos credores".

    Miguel Sousa Tavares

  • PSP apreende 11 armas e 700 quilos de droga
    0:59

    País

    A PSP recuperou mais três das 57 pistolas Glock que foram dadas como desaparecidas da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, há mais de um ano. As armas foram apreendidas na última madrugada durante uma operação de combate ao tráfico de estupefacientes. Três pessoas foram detidas. Além das três Glock que pertenciam à PSP, foram aprendidas mais 11 armas e 700 quilos de droga.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47

    Opinião

    Donald Trump admite regras mais apertadas para quem compra armas, isto após o tiroteio numa escola da Florida que fez 17 mortos. Miguel Sousa Tavares defende que os Estados Unidos da América são "uma sociedade de pistoleiros" e diz que a Associação Nacional de Rifles "gasta muito dinheiro" para conseguir que as leis não sejam mudadas no Senado.

    Miguel Sousa Tavares