sicnot

Perfil

Cultura

Fundação austríaca apresenta manuscrito inédito de Mozart

A Fundação Mozarteum de Salzburgo apresentou esta quarta-feira naquela cidade austríaca um manuscrito do compositor Wolfgang Amadeus Mozart, datada da sua adolescência, que adquiriu por 237 mil euros num leilão da Sotheby's.

O manuscrito, vendido por um privado num leilão organizado em maio pela leiloeira Sotheby's, em Londres, tem ainda anotações do pai do compositor, Leopold Mozart. (Arquivo)

O manuscrito, vendido por um privado num leilão organizado em maio pela leiloeira Sotheby's, em Londres, tem ainda anotações do pai do compositor, Leopold Mozart. (Arquivo)

AP Images

Em exposição durante o Festival de música e drama de Salzburgo, cidade natal de Mozart, o documento de 12 páginas é uma transcrição do hino religioso Stabat Mater, de Eugenio di Ligniville, mestre italiano do contraponto musical.

O manuscrito, vendido por um privado num leilão organizado em maio pela leiloeira Sotheby's, em Londres, tem ainda anotações do pai do compositor, Leopold Mozart.

Especialistas concluíram que o documento data de 1773, quando Mozart tinha apenas 17 anos.

"É um dos mais impressionantes manuscritos dos estudos musicais de Mozart em Salzburgo, que decorreram de 1772 a 1774", nota a descrição do lote pela Sotheby's, citada pela agência France Presse (AFP).

"Mozart provavelmente conheceu a composição quando se encontrou com o compositor [Eugenio di Ligniville] em abril de 1770 em Florença, durante a sua primeira viagem por Itália", continua a descrição, acrescentando que, na altura, Ligniville era diretor de música na corte toscana.

A Fundação Mozarteum de Salzburgo, que alberga mais de metade dos manuscritos conhecidos da família Mozart, declarou que a aquisição do mais recente documento só foi possível com uma doação.

"A maioria dos manuscritos de Mozart fazem já há algum tempo parte de coleções acessíveis ao público, mas um pequeno número de documentos continua fora do alcance dos especialistas", afirmou em comunicado, citado pela AFP, a fundação, que não tem fins lucrativos.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC