sicnot

Perfil

Cultura

"As Mil e Uma Noites" de Miguel Gomes ganha prémio em festival de cinema na Polónia

O filme "As Mil e Uma Noites", do realizador português Miguel Gomes, ganhou o prémio da crítica num festival de cinema da Polónia, foi hoje anunciado.

O Som e a Fúria

"As Mil e Uma Noites" ganhou o Prémio da Crítica no 15.º T-Mobile New Horizons International Film Festival, que decorreu em Wroclaw, na Polónia, entre 23 de julho e hoje.

O prémio da FIPRESCI, associação internacional de críticos de cinema, foi anunciado na noite de sábado, durante a cerimónia de entrega de prémios do festival.

A trilogia do realizador português já tinha sido premiada em junho, no 62.º Sydney Film Festival, com o primeiro prémio da seleção oficial.

Desde a sua estreia internacional na Quinzena dos Realizadores, em Cannes, a obra esteve presente em festivais na Alemanha, Finlândia, República Checa, Israel, Marselha, Vila do Conde e Nova Zelândia.

Nos próximos meses, o filme "As Mil e Uma Noites" será apresentado no Japão, no Hiroshima International Film Festival, nos EUA, no New York Film Festival, e no Chile, no Festival Internacional de Cinema de Valdivia.

A distribuidora norte-americana Kino Lober anunciou esta semana que o filme irá estrear-se nos Estados Unidos em dezembro deste ano.

Em Portugal, o primeiro filme da trilogia, "O Inquieto", irá estrear-se nas salas a 27 de agosto, seguindo-se "O Desolado", a 24 de setembro, e, finalmente, "O Encantado", a 01 de outubro.

Lusa

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • Manifestações de apoio aos pais de Alfie impedidos de o levar para Itália
    3:03

    Mundo

    A justiça britânica rejeitou um novo recurso dos pais do bebé Alfie, que está em estado semivegetativo. O objetivo era levar o menino para Itália, para ser assistido numa unidade pediátrica no Vaticano. Os pais não querem que as máquinas sejam desligadas, mas os médicos defendem que os tratamentos são inúteis.