sicnot

Perfil

Cultura

Carmen Miranda morreu há 60 anos

A cantora Carmen Miranda, natural de Marco de Canavezes, e que marcou a cultura brasileira, morreu há precisamente 60 anos.

Nascida em Marco de Canaveses em 1909, a cantora deixou Portugal com apenas 10 meses de vida, rumo ao Rio de Janeiro, onde se tornou símbolo internacional da cultura brasileira. (Arquivo)

Nascida em Marco de Canaveses em 1909, a cantora deixou Portugal com apenas 10 meses de vida, rumo ao Rio de Janeiro, onde se tornou símbolo internacional da cultura brasileira. (Arquivo)

SILVIA IZQUIERDO

Nascida em Marco de Canaveses em 1909, a cantora deixou Portugal com apenas 10 meses de vida, rumo ao Rio de Janeiro, onde se tornou símbolo internacional da cultura brasileira.

Conhecida pelo chapéu exuberante e uma voz inconfundível, Carmen Miranda conviveu de perto com a cultura portuguesa e, no início da carreira, chegou a cantar fado, mas deixou-se contagiar pelos rítmos brasileiros.

Carmen Miranda criou uma indentidade própria e até inventou as sandálias de plataforma, para disfarçar a baixa estatura em palco da artista, também conhecida de "A pequena notável".

Tema de várias teses de mestrado e doutoramento, há oito biografias da cantora que marcou a cultura popular brasileira, em plena II Guerra Mundial.

Carmen Miranda morreu a 5 de agosto de 1955, em Beverly Hills, na Califórnia, Estados Unidos, vítima de enfarte.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06