sicnot

Perfil

Cultura

Português DJ Ride selecionado para competição mundial no Japão

O músico produtor português DJ Ride, campeão mundial de "scratch" em 2011, foi selecionado para a final do campeonato de DJ "Red Bull Thre3style", que decorrerá em setembro em Tóquio, no Japão, anunciou a organização.

DJ Ride é o nome artístico do músico e produtor Oliveiros Tomás Oliveira, um dos mais elogiados e respeitados nomes do universo hip hop português. (Arquivo)

DJ Ride é o nome artístico do músico e produtor Oliveiros Tomás Oliveira, um dos mais elogiados e respeitados nomes do universo hip hop português. (Arquivo)

Stanislaw Rozpedzik / Lusa

"É o campeonato mais importante para os DJ de música urbana, o que tem mais visibilidade e é um sonho, é a primeira vez que vou ao Japão, onde estão muitos nomes que admiro", afirmou o DJ à agência Lusa.

O "Red Bull Thre3style", que vai na sexta edição, distingue o DJ que demonstre as melhores capacidades técnicas na manipulação do gira-discos e mesa de mistura e que ao mesmo tempo consiga por uma plateia a dançar.

DJ Ride, de 30 anos, há 12 a praticar "scratch" (movimentar com as mãos um disco de vinil num gira-discos e ao mesmo tempo manipular a mesa de mistura), concorreu a um lugar neste campeonato com um vídeo de cinco minutos, feito em casa, no qual demonstra o que pode fazer musicalmente com aquele equipamento.

Foi a terceira vez que DJ Ride concorreu a uma espécie de semi-final do campeonato, aberta a países que não participam habitualmente nas fases de apuramento para a final, como é o caso de Portugal.

"Eu mandei o vídeo, mas sinceramente nem tinha muita expetativa desta vez. Mandei uma coisa mais técnica, fiz em quatro dias na sala de minha casa que está também transformada em espaço de trabalho", descreveu o músico.

DJ Ride é o nome artístico do músico e produtor Oliveiros Tomás Oliveira, um dos mais elogiados e respeitados nomes do universo hip hop português.

Detém uma mão cheia de distinções em competições, uma delas a de campeão mundial de "scratch", obtida em 2011 na Polónia juntamente com Stereossauro na dupla Beatbombers.

Com uma agenda preenchida com atuações, tanto no inverno como no verão - na quinta-feira atuou nos Açores, no sábado estará no festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar -, o restante tempo é dedicado ao treino e ao trabalho de estúdio.

"Já fiz treinos de oito horas seguidas, mas há dias em que faço duas ou três. É como tocar um outro instrumento, é preciso trabalho", disse o DJ que se define como um músico experimental que tentar contar uma história com um "set".

Em setembro, DJ Ride nem sabe bem ainda em que consiste o prémio do "Red Bull Thre3style", mas o principal é visibilidade. Sabe que terá cerca de 15 minutos para mostrar o que vale e que possivelmente vai incluir música portuguesa.

"Ganhar é secundário. O maior prémio é poder mostrar o que faço. Ando nisto há doze anos e um dos objetivos é tocar lá fora", afirmou.

Na escolha de DJ Ride para o campeonato em setembro no Japão, o produtor Skratch Bastid, do júri, elogiou, por exemplo, o "equilíbro entre a técnica e a musicalidade" demonstrado pelo português, lê-se na página oficial do campeonato.

Em Tóquio, DJ Ride irá disputar o título com DJ dos Estados Unidos, Japão, Canadá, Alemanha, Brasil, Chile, Suíça, Filipinas, Polóniia, Albânia, Kossovo, Azerbeijão, Tailândia, Coreia do Sul, Taiwan e Letónia.

Entre os discos já editados, DJ Ride conta, em nome próprio, com registos como "Turntable food", "Beat journey" e "Life in loops".

Lusa

  • "A banca parece que não aprendeu nada com a bolha imobiliária de 2008"
    3:23

    Opinião

    O Governo quer limitar a venda de produtos financeiros pelos bancos. Está no parlamento uma proposta de lei que penaliza as más práticas comerciais e tenta proteger os clientes, evitando abusos e encargos excessivos e obrigando os bancos a prestarem-lhes mais informação. A proposta prevê ainda que seja dada mais formação aos funcionários. Miguel Sousa Tavares considera a decisão do Governo acertada uma vez que protege os interesses dos clientes. O comentador da SIC faz ainda referência ao ano 2008, início da crise no ramo imobiliário por "culpa dos credores".

    Miguel Sousa Tavares

  • PSP apreende 11 armas e 700 quilos de droga
    0:59

    País

    A PSP recuperou mais três das 57 pistolas Glock que foram dadas como desaparecidas da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, há mais de um ano. As armas foram apreendidas na última madrugada durante uma operação de combate ao tráfico de estupefacientes. Três pessoas foram detidas. Além das três Glock que pertenciam à PSP, foram aprendidas mais 11 armas e 700 quilos de droga.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47

    Opinião

    Donald Trump admite regras mais apertadas para quem compra armas, isto após o tiroteio numa escola da Florida que fez 17 mortos. Miguel Sousa Tavares defende que os Estados Unidos da América são "uma sociedade de pistoleiros" e diz que a Associação Nacional de Rifles "gasta muito dinheiro" para conseguir que as leis não sejam mudadas no Senado.

    Miguel Sousa Tavares