sicnot

Perfil

Cultura

Documentário sobre Coreia do Norte coproduzido por Portugal estreia quinta-feira

A primeira longa-metragem documental da sul-coreana Yoo Sonn-mi, "Songs from the North" ("Canções do Norte"), estreia na quinta-feira em Portugal, depois de ter sido distinguido no festival DocLisboa e de Locarno no ano passado.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Denis Balibouse / Reuters

O filme norte-americano, numa coprodução entre a Rosa Filmes e Haden Guest, explora o enigma da Coreia do Norte que a realizadora encontrou nas três visitas que fez ao país, numa mistura de imagens, músicas e cinema, que tenta entender a psicologia e imaginário popular dos norte-coreanos.

"É um filme-ensaio que procura um novo olhar sobre o enigma da Coreia do Norte, um país quase exclusivamente visto através das lentes distorcidas da propaganda nacionalista ou da sátira irrisória. Cruzando imagens das minhas três visitas à Coreia do Norte com canções, espetáculos, cinema popular e imagens de arquivo, 'Songs from the North' tenta compreender, através dos seus próprios termos, a psicologia e imaginação popular dos norte-coreanos e a sua ideologia política de amor absoluto, que continua a guiar o país para um futuro incerto", de acordo com a realizadora Yoo Sonn-mi.

No festival internacional de cinema de Locarno (Suíça), o filme de Yoo conquistou o Leopardo de Melhor Primeira Obra.

Na competição internacional do DocLisboa, o maior festival português dedicado ao documentário, o Prémio Culturgest para Melhor Primeira Obra Transversal às competições e Risco foi atribuído a "Songs from the North".

A Coreia do Norte é dirigida desde 1948, data da fundação do país, por uma dinastia familiar, que começou com Kim Il-Sung e continua atualmente com o neto, Kim Jung-un.

A liderança, baseada num culto da personalidade, não admite qualquer tipo de dissidência. A organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional afirma que centenas de milhares de pessoas estão detidas em campos, nos quais tortura e execuções sumárias são frequentes.

Agências de ajuda internacionais estimam que mais de dois milhões de pessoas morreram desde de meados da década de 1990 devido à fome, num país atingido por desastres naturais, onde os recursos económicos estão delapidados, a gestão é deficiente e incapaz de modernizar a atividade económica.

O país depende da ajuda externa para alimentar milhões de cidadãos.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.