sicnot

Perfil

Cultura

Lama do Rock in Rio de 1985 vai ser vendida como lembrança oficial do festival

Pedaços de lama da primeira edição do Rock in Rio, em 1985, vão ser vendidos como lembrança oficial do festival, anunciou o criador do festival, Roberto Medina.

AN

Na primeira edição, que decorreu de 11 a 20 de janeiro de 1985, fortes chuvas caíram sobre o Rio de Janeiro e transformaram a Cidade do Rock num lamaçal, porque o local não tinha o sistema de drenagem que hoje tem.

Segundo Roberto Medina, na próxima edição do festival, que arranca a 18 de setembro, vai estar à venda esta "lama sagrada" do terreno original.

"Todo o santo dia encontrava alguém que me pedia a lama", contou, explicando que o material foi recolhido com baldes pela sua equipa, o que na época ele considerou uma "doideira".

Sem revelar, no entanto, onde guardou essa lama até hoje, o organizador do festival disse que o 'souvenir' vai ser comercializado nas lojas oficiais da Cidade do Rock, em pequenos blocos prensados em placas acrílicas, em quantidades limitadas, que deverão custar cerca de 100 reais (23,5 euros).

Esta iniciativa, não é, no entanto, original. Em 1985, os guardadores de carros tiveram a mesma ideia, e venderam a "legítima lama do Rock in Rio", como anunciavam, em sacos plásticos.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.