sicnot

Perfil

Cultura

Quinto D'Bandada vai ocupar 20 espaços do Porto com 14 horas de música grátis

A cidade do Porto vai receber hoje a quinta edição do festival de música D'Bandada, um evento que inclui dezenas de concertos gratuitos em 20 espaços, no que significa cerca de 14 horas de música.

facebook.com/Nos-Em-Dbandada-824612374245561/timeline/

facebook.com/Nos-Em-Dbandada-824612374245561/timeline/

Aquela que é descrita pela organização como a "maior edição de sempre" do evento começa pelas 14:00 no jardim dos Clérigos, havendo concertos no Maus Hábitos e no Café au Lait a partir das 16:00, enquanto Jorge Palma vai tocar no elétrico 203 pelas 16:15.

Na conferência de imprensa de apresentação do programa, que teve lugar na semana passada, o programador da iniciativa, Henrique Amaro, realçou que o festival vai "ter três novos guitarristas portugueses que estão a reinventar e a descobrir novos caminhos não necessariamente para a guitarra portuguesa, mas para o instrumento tocado por portugueses", como são Peixe, Filho da Mãe e Tó Trips.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, realçou que "o que vai suceder vai surpreender sempre" e apelou à ajuda de S. Pedro no campo meteorológico.

Na avenida dos Aliados vão tocar os Black Mamba às 21:15, enquanto Miguel Araújo atua às 22:20.

No Coliseu do Porto, há concerto de Aldina Duarte a partir das 19:30, seguindo-se Carminho às 21:00.

O Nos em D'Bandada vai incluir artistas, entre muitos outros, como Ghost Hunt, Gin Party Sound System, Keep Razors Sharp, Moullinex, Nuno Prata, Pega Monstro e Weatherman.

Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00