sicnot

Perfil

Cultura

Livro com o melhor da arte urbana em Portugal editado esta semana

O livro da editora portuguesa Zest que reúne as melhores obras de arte urbana, maioritariamente de artistas nacionais, pintadas em paredes por todo o país em 2014, chega esta semana às livrarias.

(Fotos cedidas por Câmara Municipal da Amadora)

(Fotos cedidas por Câmara Municipal da Amadora)

"Aqui encontrarão os melhores registos de 2014 da maior parte dos nossos melhores artistas, uma celebração da arte portuguesa onde, por opção nossa, pontuam apenas algumas peças de artistas internacionais", lê-se no prefácio de "Best of Street Art Portugal 2014".

O livro está dividido em quatro secções: Norte e Porto, Centro, Sul e Açores e Região de Lisboa. Ali encontram-se, por exemplo, obras em paredes das Caldas da Rainha, Matosinhos, Golegã, Covilhã, Oliveira do Hospital, Loures, Seixal, Lagos, Cascais e Monte Gordo.

Ao todo, são mais de 200 imagens de quase cem artistas, quase todos portugueses, numa coleção que, segundo a Zest, irá passar a registar a história gráfica da arte de rua em Portugal, apresentando novos e não tão novos artistas.

O livro é "uma homenagem aos artistas portugueses cujas qualidade e quantidade têm vindo a tornar Portugal num dos mais importantes países no que a arte urbana diz respeito".

No final do livro estão os contactos, páginas de Facebook e sites dos artistas cujos trabalhos foram fotografados para esta obra.

Em julho do ano passado, a Zest editou um livro sobre a arte urbana em Lisboa, para pôr os lisboetas, e não só, a andar nas ruas a ver peças de arte.

Para incentivar a população a "andar na rua e ver o que há", o livro vinha acompanhado de um mapa, onde estão assinalados os locais de todas as obras referenciadas.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.