sicnot

Perfil

Cultura

Genebra acolhe exposição de escultora portuguesa inspirada na arquitetura

A cidade de Genebra, acolhe, até final de outubro, uma exposição da escultora portuguesa Fernanda Fragateiro, inspirada na arquitetura e paisagem da cidade suíça.

facebook.com/fernanda.fragateiro

facebook.com/fernanda.fragateiro


Patente até o dia 31 de outubro, a artista reúne uma série de peças relacionadas com arquitetura, numa abordagem minimalista quer nas cores quer nas texturas e nas formas, intitulada "Paisagem Não Paisagem" e inspirada pela arquitetura do edifício onde está localizada a galeria que acolhe a exposição, a Studio Sandra Recio.

"Esta exposição nasce a partir do edifício onde está inserida a galeria", em relação com "o elemento arquitetónico da persiana que é comum em Genebra", disse à agência Lusa Fernanda Fragateiro.

De acordo com a autora, as peças simbolizam alguns dos materiais e as cores visíveis na fachada do edifício. As peças expostas foram realizadas a partir de latão, livros, linhas de seda e pregos.

A obra principal, que dá nome à exposição, faz referência à cor verde típica das persianas da maioria dos prédios de Genebra.

Admiradora de arquitetura, Fernanda Fragateira ainda faz referência ao arquiteto suíço Le Corbusier, através de um mapa realizado com fios de sede e pregos na galeria.

Ao mesmo tempo que a sua exposição individual em Genebra, a artista ainda apresenta hoje outros trabalhos em Lisboa e Bilbau. No próximo ano, a escultora vai expor o seu trabalho em Berlim e Évora.

Fernanda Fragateiro trabalha e reside em Lisboa. Ela já participou em várias exposições públicas e privadas em Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Suíça e Portugal.

A Galeria Studio Sandra Recio divulga particularmente artistas contemporâneos hispânicos e latino-americanos, mas também apoia alguns artistas suíços e europeus.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.