sicnot

Perfil

Cultura

Novo romance de António Lobo Antunes é publicado em outubro

O novo romance de António Lobo Antunes, "Da natureza dos deuses", chega às livrarias no próximo dia 20 de outubro, anunciaram hoje as Publicações D. Quixote, que chancelam a obra.

"Comissão das Lágrimas" é o 23º romance de Lobo Antunes, um dos escritores portugueses mais lidos, vendidos e traduzidos em todo o mundo

"Comissão das Lágrimas" é o 23º romance de Lobo Antunes, um dos escritores portugueses mais lidos, vendidos e traduzidos em todo o mundo

JOSE SENA GOULAO

Anteriormente, o escritor, de 73 anos, detentor de vários galardões, entre eles o Prémio Camões, publicou, em 2012, "Não é meia-noite quem quer".

No plano de edições para outubro desta editora do grupo LeYa está ainda previsto os novos romances de Mário Cláudio e de Salman Rushdie, e o de poesia de Nuno Júdice.

A abrir o mês, no dia 06, as Publicações D. Quixote, a celebrarem 50 anos, editam "Astronomia", de Mário Cláudio, um romance de cariz autobiográfico, segundo adiantou à Lusa fonte da editora.

"'Astronomia' é um romance lúcido, profundo e implacável sobre a vida de um escritor português", segundo a mesma fonte.

No dia 13 de outubro é publicado o novo título de Salman Rushdie, "Dois anos, oito meses e vinte e oito noites", uma obra inspirada "nas tradicionais 'lendas maravilhosas' do oriente, uma fascinante obra de ficção que combina História, Mitologia e uma narrativa de amor intemporal".

O livro "Crónicas Maldispostas", de Pepetela, que reúne uma seleção de crónicas do autor angolano, publicadas entre março de 2007 e agosto deste ano, na revista África 21, é publicado no dia 13.

No dia 31 é publicado o segundo romance do cabo-verdiano Mário Lúcio Sousa, "A biografia do língua".

"O narrador deste romance é um condenado à morte a quem é concedido um último desejo; e o que escolhe é contar uma história, mais precisamente a da vida do Língua, um escravo que falou aos sete meses de idade e teve direito a biografia encomendada pelo rei de Portugal", adianta a editora em comunicado.

A reedição de "A instrumentalina", de Lídia Jorge, obra publicada pela primeira vez em 1992, está prevista sair, com nova capa, no dia 27.

"Trata-se de uma narrativa particularmente depurada, escrita de um único fôlego, e onde, de forma comovedora, se patenteiam a ternura e a inocência de uma primeira paixão".

Outra reedição é "Afirma Pereira", de Antonio Tabucchi, cuja ação narrativa decorre em Lisboa no ano de 1938, período de ascenção dos regimes totalitários, e que o protagonista é um jornalista.

O novo livro de poesia de Nuno Júdice, "A convergência dos ventos", é publicado no dia 13, esdtando ainda prevista a saida, no mesmo dia, do romance "Butcher's Crossing", de John Williams, obra originalmente publicada em 1960, e d'"O carteiro de Pablo Neruda", do chileno Antonio Skármeta, no dia 20.

Lusa

  • Primeiro-ministro admite que retatório sobre Tancos possa ser "fabricado"
    2:06

    País

    O primeiro-ministro garante que o relatório divulgado pelo Expresso sobre o desaparecimento de armas em Tancos não é de nenhum organismo oficial e admite até que possa ser fabricado. Costa critica ainda o líder do PSD por ter comentado uma notícia que não confirmou. As Forças Armadas também negaram a existência de qualquer relatório sobre Tancos que o jornal reafirma existir e ser verdadeiro.

  • Maratona da democracia em Barcelona
    1:18

    Mundo

    Na Catalunha, milhares de pessoas alimentam o braço de ferro com Madrid. Em Barcelona decorre a maratona pela democracia, na Praça da Universidade. A iniciativa repete-se noutros 300 municípios da região.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.